Porto de Santos marca recorde de 78,6 mi de toneladas em cargas

FONTE PORTOS E NAVIOS – Matéria publicada em 21 de novembro de 2016

A movimentação de cargas pelo Porto de Antonina registrou um aumento de 94% entre os meses de janeiro e outubro de 2016, em comparação com o ano anterior.

Foram 1.055.611 neste ano e 544.082 toneladas movimentadas em 2015. Açúcar, farelo de soja e fertilizantes são os principais produtos que passam pelo porto.

No acumulado dos nove meses do ano a movimentação de cargas pelo Porto de Paranaguá aumentou em 5%, se comparado ao mesmo período de 2015. Entre exportação e importação foram movimentadas 35.565.482 de toneladas de produtos, sendo 15,8 milhões de toneladas a mais do que em 2015, quando a movimentação foi de 33.982.487 de toneladas no período.

A movimentação de granéis sólidos em Paranaguá – entre janeiro e setembro – foi de 23,9 milhões de toneladas. Já o granel líquido registrou aumento de 44%, com a movimentação de 4,49 milhões de toneladas em 2016. A movimentação de cargas gerais foi de 7,2 milhões de toneladas neste período.

O movimento acumulado de cargas de janeiro a agosto deste ano no Porto de Santos atingiu a marca recorde de 78,6 milhões de toneladas. Esse volume suplantou em 1,3% o maior volume até então registrado, atingido no mesmo período de 2015 (77,6 milhões t). O fluxo de exportação permanece como o principal responsável pela alta, com participação de 74,0% do total movimentado e crescimento de 4,6% no período, contra um decréscimo de 7,1% na importação.

Um total de 19,9 milhões de sacas de 60 quilos de café – 1,19 milhão de toneladas do grão – foi embarcado no Porto de Santos neste ano, até o mês passado. Com isso, o cais santista segue como a principal porta de saída da commodity no País, escoando 84,1% da safra brasileira do produto. Mas esse volume poderia ser maior, se não houvesse o impacto da greve dos auditores fiscais da Receita Federal, que já tem a duração de três meses.

De acordo com o Ministério do Trabalho, estima que 40% dos acidentes de trabalho ocorrem devido acidentes por quedas. Para realizar a movimentação de cargas, é necessário o uso de alguns maquinários, acessórios e também o uso de cinta para movimentação de carga. É importante que os funcionários estejam bem preparados, de acordo com a Norma Regulamentadora (NR 35), uma norma voltada para profissionais que realizam trabalhos em altura. Empresas como a Polifitema , produzem equipamentos de proteção para trabalho em altura, fabricante de cinta para movimentação de carga, manilha para movimentação de carga. Fornecem também acessórios e cintas para movimentação e elevação de carga.

 

Fonte: Terra

 

Os comentários estão encerrados.

%d blogueiros gostam disto: