Porto de Paranaguá investe R$ 1,3 milhão em segurança

O Porto de Paranaguá bateu o recorde no embarque de açúcar em um único navio. Foram carregadas 62,6 mil toneladas do produto no navio de bandeira liberiana Mv Kyoto Star, superando em 19% o recorde anterior, de 2001, quando tinham sido embarcadas 52,5 mil toneladas em apenas um navio. Paranaguá, 20/10/2016. Foto: Ivan Bueno/APPA

FONTE PORTOS E NAVIOS – Matéria publicada em 20 de outubro de 2016

O Porto de Paranaguá está investindo R$ 1,3 milhão em obras que darão mais segurança às operações no Cais Público de Inflamáveis. A intervenção, já em fase final, prevê a troca dos dez cabeços de amarração do píer, além da instalação de defensas e chapas expandidas nos berços.

Os cabeços são estruturas de concreto onde os navios são amarrados quando atracados. A substituição deles garante uma operação mais segura no escoamento e importação de granéis líquidos. As novas peças, mais resistentes, devolvem a capacidade de projeto do berço de 100 mil toneladas. O investimento deve ser finalizado ainda em dezembro deste ano.

“Além de óleo vegetal, ali movimenta-se etanol e combustíveis em geral e a segurança operacional e do meio ambiente é a nossa prioridade nestes casos”, afirma o secretário de Estado de Infraestrutura e Logística, José Richa Filho. Segundo ele, esta obra, além de modernizar a estrutura, proporciona uma atracação com menos riscos e mais eficiência.

ESTRUTURA

O Cais Público de Inflamáveis conta com dois berços de atracação, que são usados, atualmente, pelas empresas Petrobras/Transpetro, Cattalini, União Vopak e CPA. Um destes berços necessitava de manutenção e melhorias nas condições de segurança.

Também foram instaladas chapas expandidas entre os cabeços, que são estruturas metálicas que permitem a locomoção dos trabalhadores entre os berços com maior segurança.

A obra também atendeu requisitos básicos para que as atividades de solda, lixação e afins não oferecessem riscos à operação de materiais inflamáveis, em uma programação combinada previamente com os operadores.

“Modernizamos os dois berços, trazendo um deles de volta à atividade. E fizemos tudo isso com muito diálogo com as empresas operadoras, para que a intervenção fosse segura e, ao mesmo tempo, ágil”, explica o diretor-presidente da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), Luiz Henrique Dividino.

LÍDER NACIONAL

O Porto de Paranaguá é o líder nacional em exportação de óleo vegetal. Em 2015, foram embarcados 1,2 milhão de toneladas do produto, 3% a mais do que no ano anterior. Ao todo, no que diz respeito a graneis líquidos totais, o porto movimentou 4,2 milhões de toneladas ao longo do ano passado.

 

Fonte: Bem Paraná

Os comentários estão encerrados.

%d blogueiros gostam disto: