GOVERNO CRIA GRUPO DE TRABALHO PARA FORTALECER COOPERAÇÃO ENTRE BRASIL E NORUEGA NA ÁREA DE ÓLEO E GÁS

FONTE PETRONOTÍCIAS – Matéria publicada em 24 de novembro de 2016

O governo brasileiro criou um grupo de trabalho interdisciplinar, unindo representantes de três ministérios, para aproximar o País da Noruega em termos de cooperação no setor de óleo e gás.

A medida foi anunciada após reunião do ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, com o ministro do Petróleo e Energia da Noruega, Tord Lien, sendo que o grupo de trabalho reunirá nomes também dos ministérios de Minas e Energia (MME) e das Relações Exteriores (MRE).

O objetivo é levar adiante uma força-tarefa criada em 2013, para traçar a Estratégia Brasil-Noruega para o Século 21, que ganhou força recentemente, após a compra de Carcará pela Statoil, em negociação de US$ 2,5 bilhões com a Petrobrás, detentora dos 60% de participação repassados à estatal norueguesa.

Como fruto desse processo, em 2015 a Finep havia lançado um edital para apoiar parcerias entre empresas e instituições de pesquisa do Brasil e da Noruega para o desenvolvimento de tecnologias no setor de petróleo e gás. Foram disponibilizados R$ 5 milhões em subvenção econômica por parte da Finep e cerca de R$ 4,4 milhões em recursos não reembolsáveis por parte do Conselho de Pesquisa Norueguês para projetos em tecnologias submarinas, recuperação avançada de petróleo e tecnologias ambientais, o que foi elogiado pelo ministro norueguês.

“Estou muito satisfeito com a maneira e a agilidade com que a Finep e o Conselho de Pesquisa Norueguês deram seguimento ao nosso acordo”, afirmou o ministro Tord Lien, acrescentando que, para a experiência de sucesso na exploração de petróleo na Noruega, foi fundamental o uso do ambiente de pesquisa e desenvolvimento do país, formado por empresas, governo e universidades, trabalhando em conjunto com uma estratégia em comum.

O ministro interino das Minas e Energia, Paulo Pedrosa, apontou o caminho para o desenvolvimento do setor no Brasil. “A nossa diretriz geral é buscar competitividade para o setor,” disse, complementando: “Queremos que o Brasil além de desenvolver sua indústria de petróleo e gás, possa exportar serviços e componentes. Isso está exigindo do governo repensar suas políticas para que o setor de energia possa melhor contribuir para o desenvolvimento e a criação de empregos no país.”

Além dos ministros, participaram da reunião o diretor do Departamento de Ciência e Tecnologia do MRE, embaixador Benedicto Fonseca, o secretário de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis do MME, Márcio Félix Bezerra, e a embaixadora da Noruega, Aud Marit Wiig.

 

Os comentários estão encerrados.

%d blogueiros gostam disto: