Petrobrás reduz pela metade o tempo de construção de poço no pós-sal do Espírito Santo

FONTE PETRONOTÍCIAS – Matéria publicada em 14 de julho de 2020

A Petrobrás conseguiu reduzir pela metade o tempo de construção de um poço submarino na camada pós-sal no litoral Espírito Santo.

O feito foi alcançado graças a uma nova metodologia empregada pela empresa, chamada True One Trip Ultra Slender (Totus). Com esse método, a petroleira simplificar e reduzir o tempo gasto nas etapas de perfuração e completação do poço.

Com o uso do Totus, a Petrobrás construiu o poço 7-GLF-49H-ESS, no campo de Golfinho, na Bacia do Espírito Santo, em apenas 44 dias em comparação com os 96 dias da média histórica no ativo. O poço deve entrar em operação em outubro deste ano, produzindo aproximadamente 12 mil barris de óleo por dia.

Dentro desse novo método, a perfuração do poço é realizada em apenas três fases e a completação (superior e inferior) instalada numa manobra única (True One Trip). Nos modelos tradicionais, são quatro ou cinco fases de perfuração e duas ou mais manobras para instalar a completação.

A Petrobrás quer agora aplicar esse mesmo conceito em outros poços dos demais campos maduros do pós-sal, onde as características geológicas e de reservatório favorecem sua aplicação, nos próximos cinco anos. Nas contas da estatal, a metodologia pode resultar em uma economia estimada entre US$ 20 milhões e 35 milhões por poço.

O conceito Totus, desenvolvido e patenteado pela Petrobrás, é parte do esforço da companhia na busca por soluções tecnológicas e redução de custos de suas atividades de forma segura e eficiente. A otimização da construção de poços viabiliza o aumento da produção e das reservas em campos maduros do pós-sal, com custos de produção compatíveis com o cenário de baixo preço do petróleo, contribuindo com a criação de valor para a Petrobrás”, afirmou o gerente executivo de Construção de Poços Marítimos da empresa, Samuel Bastos de Miranda.   

 

Os comentários estão encerrados.

%d blogueiros gostam disto: