Vazamento de óleo na Sibéria causa um drama ecológico na região com Vladimir Putin intervindo diretamente

Norilsk (Russian Federation), 03/06/2020.- An undated handout photo made available on 04 June 2020 by the press service of the Marine Rescue Service of Russia (MRS or Morspassluzhba in Russian) shows the site of oil products spill into the Ambarnaya river outside of Norilsk, Russia. About 20,000 tonnes of oil products leaked 29 May 2020 and soiled the waters of Ambarnaya and Daldykan rivers after an accident at a heat and power station (a Norilsk Nickel subsidiary) in industrial city of Norilsk located above the Arctic Circle. (Rusia) EFE/EPA/Marine Rescue Service press service / HANDOUT HANDOUT EDITORIAL USE ONLY/NO SALES

FONTE PETRONOTÍCIAS – Matéria publicada em 04 de junho de 2020

Uma tragédia ecológica na Sibéria.

Um tanque de combustível de uma usina perdeu pressão provocando um   vazamento de pelo menos 20 mil toneladas de petróleo, ou mais de 635 mil galões. O acidente foi no dia 29 de maio, em Norilsk, acima do Círculo Polar Ártico, no centro-norte da Rússia. O Presidente russo, Vladimir Putin, criticou as autoridades locais por considerar as respostas lentas demais pela magnitude do problema.

O grande derramamento de petróleo na Sibéria levou o presidente russo Vladimir Putin a declarar estado de emergência e repreender publicamente as autoridades locais pelo que ele disse ser uma resposta ruim e lenta. Os funcionários da estação tentaram conter o vazamento por conta própria.        O governador da região de Krasnoyarsk, Alexander Uss, disse a Putin que tomou conhecimento do derramamento de óleo no domingo depois que informações pareceram alarmantes. Putin concordou que um estado de emergência nacional era necessário para obter mais recursos para os esforços de limpeza.

Lagos e cursos de água a mais de 20 quilômetros do local continham concentrações de produtos petrolíferos em quantidade muito superior ao limite máximo permitido, de acordo com a agência reguladora da Rússia para recursos naturais. Putin está monitorando toda situação: “Vou pedir às agências competentes de monitoramento e aplicação da lei que descubram que tipo de informação foi relatada, onde e qual foi a resposta de todos que deveriam agir de acordo com as instruções.” O Comitê de Investigação da Rússia disse que iniciou um processo criminal por poluição e suposta negligência. O diretor da usina, Vyacheslav Starostin,

 

Os comentários estão encerrados.

%d blogueiros gostam disto: