Petroleiro japonês continua derramando petróleo no paraíso das Ilhas Maurício

FONTE PETRONOTÍCIAS – Matéria publicada em 18 de agosto de 2020

O paraíso das Ilhas Maurício continua vivendo seu pior pesadelo ambiental de todos os tempos.

O petroleiro japonês MV Wakashio, mas de bandeira panamenha, carregado com petróleo, aumentou o derramamento de óleo nas ilhas da região, desde que se rompeu no último sábado (15). O navio está encalhado desde o fim de julho em Pointe d’Esny, um conhecido santuário de vida selvagem rara. Das 4 mil toneladas de combustível existentes na embarcação, cerca de 3 mil foram bombeadas com ajuda francesa.

Mokshanand Sunil Dowarkasing, assessor ambiental das Ilhas Maurício, em entrevistas aos jornais de Moçambique, alertou que o impacto deste derrame de petróleo vai durar muito tempo.

 

“Defendo a urgência de uma avaliação independente dos danos causados tanto na fauna e flora marinhas como na economia local. O verdadeiro impacto desta tragédia só poderá ser apurado daqui a cerca de um ano. Só então se saberá se os manguezais serão ou não capazes de sobreviver a esta contaminação, se germinará ou não novo coral nas lagoas etc. Preocupa-me não só o impacto ecológico deste desastre, mas também a repercussão que terá na forma de ganhar a vida das pessoas, em especial das mulheres que vivem da pesca o da manutenção dos barcos”.

O governo das Ilhas Maurício já informou que “responsabiliza o proprietário e o segurador do cargueiro por todas as perdas e danos causados”, anunciando a criação de uma plataforma eletrônica para reunir os pedidos de indenização. Em comunicado o governo diz que “todos os pedidos feitos nesta plataforma serão canalizados para os armadores e/ou o segurador para avaliação e aprovação.” A Nagashiki Shipping, proprietária do MV Wakashio, garantiu que irá pagar uma compensação “de acordo com a lei” e a Autoridade Marítima do Panamá (AMP) anunciou que irá colaborar nas investigações.

 

Os comentários estão encerrados.

%d blogueiros gostam disto: