Oleoduto e gasoduto da PDVSA se rompem no mar do Caribe e causam outro desastre ambiental na Venezuela

FONTE PETRONOTÍCIAS – Matéria publicada em 14 de setembro de 2020

Foto: Rompimento do gasoduto da PDVSA cria essa imagem no Caribe

Quando a coisa está ruim, o pão só cai com a manteiga pra baixo, diz o ditado popular. Com a Venezuela, a coisa está assim.

Diante de tantos sofrimentos causados à população pelo governo do ditador Nicolás Maduro, agora estatal venezuelana de petróleo PDVSA confirmou um vazamento de óleo de uma linha de petróleo e um gasoduto no Mar do Caribe, perto do maior centro de refino do país. A empresa disse que já havia começado reparos, limpeza e que estava fazendo todos esforços para sanar os problemas. A PDVSA apurou o vazamento na área de Golfete de Coro, no estado de Falcon, durante uma inspeção aérea, informou um comunicado da empresa, acrescentando que apesar do vazamento garantiu que continuará fornecendo petróleo para o Complexo de Refino do Paraguai (CRP), que inclui a Refinarias de Amuay e Cardon. Ou seja, está vazando, mas vai assim mesmo.

Tanto Amuay quanto Cardon passaram por várias interrupções nos últimos anos, que a oposição atribui à má administração e à falta de manutenção. Nos últimos dias, pescadores e especialistas deram o alarme sobre uma mancha na área de Golfete, conhecida por suas praias imaculadas e reservas naturais no noroeste do país.

O incidente ocorre um mês depois de um vazamento cobrir áreas do Parque Nacional Morrocoy. As autoridades dizem que trataram dessa mancha de óleo, mas não deram detalhes sobre seu tamanho ou origem. Carlos Carmona, pesquisador e membro da Sociedade Venezuelana de Ecologia, disse que peixes mortos foram encontrados onde a mancha de Golfete foi descoberta em uma área que abriga pássaros costeiros, tartarugas marinhas e uma reserva de mangue preto.

 

Os comentários estão encerrados.

%d blogueiros gostam disto: