MMA firma parceria para desenvolver o Sistema Nacional de Informações sobre a Gestão dos Resíduos Sólidos

FONTE TN PETRÓLEO – Matéria publicada em 12 de março de 2019

O Ministério do Meio Ambiente (MMA) e a Associação Brasileira de Empresas de Tratamento de Resíduos e Efluentes (Abetre) firmaram, no dia 25 de fevereiro, o acordo de cooperação técnica para desenvolver o Sistema Nacional de Informações sobre a Gestão dos Resíduos Sólidos (Sinir), que reunirá informações sobre a gestão de resíduos sólidos feita por empresas, municípios, estados e Distrito Federal, e que possibilitará o monitoramento, a fiscalização e a avaliação dos impactos desses resíduos ao meio ambiente.

Segundo o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, é difícil fazer a gestão de resíduos num país tão diverso e de distâncias continentais como o Brasil. “Mas, aprimorando as experiências bem-sucedidas e aprendendo com os erros, conseguiremos encontrar as soluções necessárias”, afirmou.

O Sinir é um instrumento fundamental para a execução da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), aprovada em 2010. “O Sinir foi incluído na agenda de 100 dias de governo com o objetivo de qualificar o processo de decisão dentre as políticas públicas ligadas à gestão de resíduos sólidos”, ressaltou o secretário de Qualidade Ambiental, André França.

Conforme o documento assinado pelo ministro Ricardo Salles, o secretário André França e o presidente da Abetre, Luiz Gonzaga Alves Pereira, a Associação ficará responsável pelo desenvolvimento técnico do sistema, fornecendo o conjunto de softwares que vão viabilizar as operações do Sinir. “O Brasil produz muito poucas informações para os gestores. Sem dados não tem como planejar e, sem planejar, não tem como executar”, disse Pereira.

As equipes do MMA e da Abetre vão começar a trabalhar na formatação do sistema de forma integrada. A expectativa é que o resultado seja apresentado nas comemorações do Dia Mundial do Meio Ambiente, 5 de junho.

Segundo o presidente da Plastivida, Miguel Bahiense, a criação de uma ferramenta que auxilie a enriquecer os dados é positiva. “Os municípios têm dificuldade em estabelecer as coletas seletivas e fechar os lixões, que são premissas fundamentais da PNRS. O Sinir será uma da fonte de informação que auxiliará na implantação da logística reversa dos municípios, que é um complemento da PNRS”, explica.


Fonte: Redação/Assessoria

Os comentários estão encerrados.

%d blogueiros gostam disto: