Maersk acerta parcerias para mudar o combustível de sua frota e ser uma empresa mais verde

FONTE PETRONOTICIAS – Matéria publicada em 22 de agosto de 2021

A Maersk está fazendo um esforço para substituir o combustível de seus navios.

Para isso, a empresa já firmou parcerias para produzir combustível verde para o primeiro navio, que vai operar com metanol neutro em carbono. A Maersk e a REintegrate, subsidiária da empresa dinamarquesa de energia renovável European Energy, estabelecerão uma nova instalação para produzir, aproximadamente, 10 mil toneladas de e-metanol que novo navio consumirá anualmente.

Henriette Hallberg Thygesen, responsável pela estratégia da marca Maersk, disse que  a empresa trabalhará em colaboração com as empresas no desenvolvimento da instalação. “Esta parceria pode se tornar um modelo de como dimensionar a produção de combustível verde por meio da colaboração com parceiros em todo o ecossistema da indústria, proporcionando experiências valiosas à medida que progredimos em nossa jornada para descarbonizar as cadeias de abastecimento de nossos clientes”, afirmou a executiva. “Suprir os combustíveis do futuro é um desafio significativo e precisamos conseguir dimensionar a produção a tempo. Este acordo com a European Energy e REintegrate nos coloca no caminho certo para cumprir nossa ambição de ter o primeiro navio de contêineres do mundo neutro em carbono até 2023”, acrescentou.

A instalação usará energia renovável e CO² biogênico para produzir o e-metanol, cuja produção está prevista para começar em 2023.

A energia necessária para a produção será fornecida por uma fazenda solar em Kassø, localizada no sul da Dinamarca. A REintegrate possui um histórico comprovado de produção de combustível verde com um laboratório de testes em Aalborg. A nova instalação será sua terceira instalação de e-metanol, já que eles também estão construindo uma nova instalação em Skive, com previsão de início em 2022.

“Estamos orgulhosos de fazer parte da primeira produção de e-metanol em grande escala na Dinamarca. Embora a energia renovável esteja se tornando cada vez mais comum na matriz energética do consumo de eletricidade, este é um dos primeiros passos no transporte pesado em direção ao uso de energia 100% renovável. Este acordo é um marco na jornada em direção à transição verde na indústria de navegação”, disse o CEO da European Energy, Knud Erik Andersen. Embora a energia renovável seja produzida no sul da Jutlândia, ainda está para ser decidido onde, na Dinamarca, a instalação de energia para metanol será localizada.

A Maersk anunciou o navio bicombustível, o primeiro da indústria, em fevereiro de 2021. Em junho, a Maersk anunciou que os estaleiros da Hyundai Mipo construirão o alimentador de 2100 TEU, equivalente a 6 metros. O primeiro alimentador de metanol do mundo terá 172 metros de comprimento e deve se juntar à frota da Maersk em meados de 2023. Ele navegará na rede da Sealand Europe, uma subsidiária da Maersk, na rota marítima do Báltico entre o norte da Europa e a Baía de Bótnia, hasteando a bandeira dinamarquesa

 

 

Os comentários estão encerrados.

%d blogueiros gostam disto: