Primeiro delator da Lava Jato, Paulo Roberto Costa retira tornozeleira eletrônica

FONTE JORNAL DO BRASIL – Matéria publicada em 03 de novembro de 2016

Foto: Paulo Roberto Costa foi o primeiro a fazer delação premiada na Lava Jato

Ex-diretor da Petrobras cumprirá o restante dos seus 17 anos de pena em regime aberto

Nesta quinta-feira (3), o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, retirou a tornozeleira eletrônica. Outro fato é que, desde o dia 26 de outubro ele passou a cumprir o regime aberto. Costa foi condenado em vários processos da Operação Lava Jato por ter cometido crimes como lavagem de dinheiro e corrupção.

Responsável pelos processos da Operação Lava Jato, o juiz federal Sergio Moro, decidiu em primeira instância, que a tornozeleira eletrônica fosse retirada e entregue na 12ª Vara Federal dentro de um prazo de 15 dias, a partir do dia 26 de outubro. Moro permitiu que Costa aguardasse a próxima ida para audiência em Curitiba para retira-la.

Acompanhado do advogado Cássio Quirino, o ex-diretor da estatal chegou ao prédio da Justiça Federal por volta das 13h20 e saiu cerca de 20 minutos depois. De acordo com o advogado, Paulo Roberto Costa foi ao local para retirar o equipamento.

O benefício concedido a Costa é fruto da delação premiada firmada com o Ministério Público Federal (MPF). Ele foi o primeiro delator da Operação Lava Jato.

Desde outubro de 2015, Paulo Roberto Costa cumpria pena de 20 anos em regime semi-aberto, restando ainda 17 anos para o ex-diretor cumprir em regime aberto.

De acordo com a decisão de Moro, Costa deve cumprir o regime aberto com restrições pelos próximos três anos, até o dia 1° de novembro de 2019.

O ex-diretor da Petrobras está proibido de se mudar ou viajar para o exterior sem prévia autorização da Justiça. Deverá prestar quatro horas semanais de serviços comunitários e apresentar um relatório das atividades profissionais à Justiça Federal do Paraná trimestralmente.

 

Os comentários estão encerrados.

%d blogueiros gostam disto: