Petroleiras testam novo tipo de VANT para atender serviços em plataformas no Mar do Norte

FONTE PETRONOTÍCIAS – Matéria publicada em 04 de setembro de 2020

Na semana passada, o Petronotícias trouxe uma reportagem sobre o lançamento de um VANT – Veículo Aéreo Não Tripulado – criado e desenvolvido por brasileiros, o ATOBÁ, que entre as suas características tem a de poder patrulhas faixas oceânicas onde estão instaladas plataformas de petróleo.

Agora, da Noruega, vem outro caso interessante usando o VANT para cumprir quase o mesmo objetivo. Os noruegueses criaram o Helicóptero Camcopter S-100 e o fizeram entregar peças impressas em 3D à uma plataforma de petróleo após um voo de 100 km sobre o Mar do Norte. Tecnicamente, abrindo o caminho de uma manutenção mais segura, barata e com menos emissões dessas grandes operações offshore. Mas, em locais de tempo de condições extremamente adversas, com fortes ventos e tempestades, a aeronave precisa ser melhor testada.

O conjunto de plataformas de petróleo do Mar do Norte e da Noruega, construídas principalmente pela Grã-Bretanha e pela Noruega, está entre os projetos de engenharia mais impressionantes do final do século XX. Uma parte vital da economia energética mundial, eles também são muito perigosos para operar, tendo que suportar algumas das piores condições climáticas e marítimas na Terra. As empresas petrolíferas operam a maior frota mundial de helicópteros IFR (Heavy Instrument Flight Rules). Estes transportam dois milhões de passageiros por ano e algumas dessas máquinas foram construídas especialmente para o trabalho no Mar do Norte. Cada uma dessas viagens é muito cara e perigosa, e é por isso que a parte menos popular do treinamento dos funcionários é vestir roupas de sobrevivência e estar sujeito a um acidente de helicóptero simulado em um tanque de água gelada, assim como aqui no Brasil esse treinamento é feito obrigatoriamente pela Petrobrás, muito embora as condições de temperatura da água e as intem´peries, não se compara.

Mas, de acordo com Nordic Unmanned, o uso de drones não é apenas mais seguro, mas reduz as emissões de dióxido de carbono em 55 vezes e diminui os custos operacionais.

O teste recente ocorreu em 27 de agosto, quando uma Camcopter S-100 da Equinor e Nordic Unmanned decolou de Mongstad, Noruega, e completou a missão além da linha de visão para a plataforma de produção Troll A. A Schiebel Camcopter S-100 pode carregar uma carga útil de 110 kg (243 lb). Ele tem uma velocidade máxima de 220 km / h (140 mph), um teto operacional de 5.500 m e duração de voo de oito horas. O voo de teste passou por um espaço aéreo convencional compartilhado e é o primeiro para uma instalação ativa de petróleo e gás. Além da entrega da carga, o helicóptero também fez uma inspeção visual do Troll A de fora da zona de exclusão de 500 m e conduziu uma operação simulada de busca e resgate com o navio de prontidão do Troll A.

 

Pal Kristensen, gerente da unidade de negócios, logística e robotização da Nordic Unmanned, disse que “A tecnologia é comprovada e robusta o suficiente para ser implementada em grande escala e reduz drasticamente o custo do risco e a pegada ambiental. A boa colaboração com Equinor, Schiebel, Avinor, Norwegian Communication Authority e Norwegian Civil Aviation tornou possível levar este projeto do final do estudo de viabilidade ao fim da operação em menos de quatro meses. Estou honrado por ter liderado este projeto para Nordic Unmanned”.

 

 

Os comentários estão encerrados.

%d blogueiros gostam disto: