Há riscos do Canal de Suez ficar interrompido por semanas por causa do navio encalhado

FONTE PETRONOTÍCIAS – Matéria publicada em 26 de março de 2021

O impedimento do trânsito de navios pela Canal de Suez, no Egito, ainda vai dar muito pano pra mangas. Vai longe o problema.

A circulação no canal continua bloqueada devido ao gigante Ever Given estar encalhado e sem previsão de liberação, mesmo com duas grandes empresas especialistas, uma japonesa e outra holandesa, estarem no local trabalhando dia e noite. Essas empresas responsáveis pela operação de remoção não excluem a hipótese de os trabalhos demorarem semanas. Com isso, o desafio de cruzar o velho e perigoso Cabo das Tormentas, no sul da África, está com trânsito intenso. Quase 300 navios estão esperando no Suez, mas muitas companhias de navegação, já autorizaram suas embarcações seguir pelo trajeto antigo, que gasta, pelo menos, mais seis dias e muitos galões de óleo. O custo de um navio de cargas parado pode representar prejuízos diários de US$ 8,5 milhões.

A dona do navio, a japonesa Shoei Kisen Kaisha, já emitiu um comunicado em que pede desculpa pelo transtorno no comércio global.

VEJA O TRÂNSITO DE NAVIOS NO CABO DA BOA ESPERANÇA

Desde terça-feira que o gigante Ever Given, um navio cargueiro com 400 metros de comprimento, está bloqueando a circulação no Canal de Suez, via crucial para o comércio global. Estima-se que entre 10% e 15% do comércio mundial passe por lá, sendo uma rota importante para o transporte de petróleo e gás natural.  O navio, que tem um comprimento semelhante à altura do Empire State Building, em Nova Iorque, está encalhado diagonalmente no canal, devido ao mau tempo que fazia naquela zona no início da semana. Com a passagem bloqueada por este gigante, há já centenas de navios em fila de espera, causando um engarrafamento na via que liga o mar Vermelho e o mar Mediterrâneo.

Embora a entidade responsável pela gestão do canal tenha aberto a via antiga, na tentativa de escoar algum do trânsito marítimo, uma rota alternativa para o comércio de mercadorias entre a Ásia e a Europa implicaria o recurso ao cabo da Boa Esperança, contornando África uma viagem significativamente mais demorada e dispendiosa, que está sentindo um aumento  significativo de navios na região.

O valor dos fretes, que tinham aumentado no início do ano, vai ter reajustes, principalmente no transporte do petróleo. Com este bloqueio,  o efeito sentido no preço do petróleo foi muito rápido, mas foi contido. Todos torcem para que o problema seja resolvido com velocidade. É uma situação que pode  ter repercussões a médio  prazo no preço do petróleo.

No curto prazo, já estará dissipado. O mercado está bem abastecido, o nível de stock decorrente de pandemia é muito alto, não há receios de escassez. As cotações do petróleo têm estado bastante voláteis nesta semana por outras razões. No início da semana, assistimos a quedas na ordem dos 7% num só dia, motivadas pelos receios em torno da evolução da pandemia na Europa, podendo afetar os níveis de procura por esta matéria-prima.

Os comentários estão encerrados.

AllEscort