Furacão Laura assusta os EUA e reduz produção de óleo no Golfo do México em mais de 80%

FONTE PETRONOTÍCIAS – Matéria publicada em 25 de agosto de 2020

Orlando- Por Fabiana Rocha – O que antes era uma tempestade tropical, agora passou para furação de categoria. A ameaça tem nome – Laura – e já causa efeitos na produção de óleo e gás na costa do Golfo do México.

Segundo informações do Departamento de Segurança e Fiscalização Ambiental (BSEE, na sigla em inglês), pelo menos 84,3% da atual produção de petróleo naquela região foi paralisada em resposta das empresas à ameaça do furacão.

Além disso, o BSEE estima que aproximadamente 60,94% da produção de gás natural também foi interrompida. Os ventos de Laura provavelmente atingirão o pico de 115 milhas (185 quilômetros) por hora quando chegarem à costa na manhã de quinta-feira, disse o Centro Nacional de Furacões dos EUA.

As plataformas no Golfo do México, que respondem por até 17% da produção americana de petróleo, são projetadas para resistir a tempestades dessa magnitude. As equipes são retiradas do local e enviadas às unidades novamente quando as condições climáticas melhoram. Ainda segundo o BSEE, um total de 299 plataformas de produção foram esvaziadas como medida de prevenção. O número representa 46,5% das 643 plataformas tripuladas no Golfo do México.

 

Os comentários estão encerrados.

%d blogueiros gostam disto: