Tecon Salvador avança na conteinerização de grãos

FONTE: PORTAL NAVAL

O Tecon Salvador, do Grupo Wilson Sons, realizou no último fim de semana o embarque de 300 toneladas de soja não transgênica do oeste baiano em contêineres para o mercado asiático. O número é 14 vezes maior do que o volume exportado em igual período no ano passado. A expectativa é que o terminal embarque 1,7 mil toneladas da soja não transgênica para a Ásia até o final do ano. Os grãos são transportados em contêineres pela companhia marítima NYK LINE e tem como destino o porto de Yokohama no Japão. A partir daí, eles são comercializados no restante da Ásia.

O Porto de Salvador é pioneiro na iniciativa no Nordeste. O diferencial do transporte deste tipo de commodity é que, por ser embarcado em bigbags (sacas de uma tonelada) dentro de contêineres, o produto ganha alto valor agregado porque permite a identificação da origem do grão. Isso não é possível em navios graneleiros, em que a soja de diversos produtores se mistura e o comprador recebe a quantidade de commodities paga, porém sem a certeza da procedência. Além disso, a utilização de contêiner elimina a necessidade de armazenagem, estocagem, distribuição dos grãos – como em outros processos logísticos, e evita que o mau tempo atrase o embarque e a saída do navio, o que gera custos adicionais ao cliente.

“Levar para o contêiner cargas que antes eram embarcadas a granel é muito importante. Para o Tecon Salvador, esse movimento de atração de novas cargas possibilita crescimento com novas oportunidades do setor. Diversificar as cargas é aumentar a movimentação do terminal acima do mercado”, afirma o Diretor Executivo do Tecon Salvador, Demir Lourenço Jr.

A operação foi executada pela Agrícola Xingu, que realiza em suas fazendas no oeste da Bahia o Non-GMO Identity Preserved Program, garantindo a rastreabilidade da soja desde as sementes até a entrega do produto ao cliente. Após as variedades de soja não transgênica terem sido escolhidas para o plantio em larga escala com fins comerciais, o programa se inicia com os testes das sementes e plantio livres de contaminação e afastados de quaisquer outras variedades transgênicas. Estes testes se prolongam por todas as etapas do processo desde o crescimento até a armazenagem e transporte, ao final do processo são emitidos certificados que atestam a pureza e qualidade da soja.

A conteinerização de grãos pode beneficiar grandes traders que compram de fazendeiros e não tem volume para colocar no navio graneleiro, mercado varejista em geral, além das cooperativas de agricultores. O Tecon Salvador já possui experiências bem-sucedidas com embarques de suco, feijão, caroço e pluma de algodão em contêiner.

Os comentários estão encerrados.

%d blogueiros gostam disto: