Reservas provadas da OGX ficam bem abaixo do anunciado

FONTE: O GLOBO

JORNAL 562 9

RIO – As reservas provadas do campo de Tubarão Martelo, na Bacia de Campos, da OGX, petroleira do empresário Eike Batista, ficaram abaixo do estimado pela companhia em abril do ano passsado. Na época, a OGX informou que as reservas seriam de 285 milhões de barris de óleo equivalente. No entanto, hoje, a OGX, com base nos estudos feitas pela consultoria independente DeGolyer & MacNaughton, as reservas provadas no nível 3P (com maior nível de incerteza) são de 108,5 milhões de barris. Já na categoria 2P (no qual, o grau de incerteza é menor), a OGX informou que as reservas seriam de 87,9 milhões de barris. Não foram encontradas reservas em nível 1P, a que tem 100% de certeza de comercialidade.

O geólogo e consultor Pedro Zalán da Zag Consultoria em Exploração de Petróleo disse ao site do GLOBO que a notícia pode ser considerada positiva ao garantir a existência de óleo em Tubarão Martelo, mesmo com certo grau de incertezas.

– O anúncio foi positivo porque mostra que, pela primeira vez, há reservas provadas certificadas. O lado negativo é que o volume é abaixo do anunciado na declaração de comercialidade do campo – disse Zalán.

O especialista estranhou não terem classificado nenhum volume de reservas provadas na categoria 1P, considerando que a companhia fez grande número de perfurações de poços no local. O geólogo explicou que existem três níveis de classificação de reservas provadas: 1P, 2P e 3P. No nível 1P, existe certeza total de que a área tem reservas comercializáveis. Já no 2P, o grau de certeza é da ordem de 60% a 70%. No nível 3P, a certeza cai para níveis bem menores e há necessidade de maiores estudos e avaliações para confirmar as descobertas.

Os comentários estão encerrados.

%d blogueiros gostam disto: