PEDIDO DE PARALISAÇÃO DE SONDAS DA ODEBRECHT ÓLEO E GÁS COMPLICA SITUAÇÃO DA EMPRESA

FONTE PETRONOTÍCIAS – 10 de agosto de 2016

A situação da Odebrecht Óleo e Gás (OOG) se complicou ainda mais com o pedido feito pela Petrobrás para paralisar a atividade de quatro sondas de perfuração.

A estatal, atualmente, é a única cliente da OOG no setor de perfuração, agravando ainda mais o quadro financeiro da empresa.

A dívida de mercado da OGG é de cerca de US$ 5 bilhões. A maior parte dos vencimentos acontecerão no ano de 2022. A nova decisão da Petrobrás cria um ponto de interrogação sobre o futuro da divisão de Óleo e Gás da Odebrecht e gera preocupação em investidores e credores da companhia.

A Petrobrás não pode romper unilateralmente os contratos das sondas, que têm duração até 2021 e 2022. Desta forma, a estatal escolheu pedir a paralisação dos equipamentos, com objetivo de economizar com pagamentos pelos serviços – atitude em linha com seu plano de contenção de gastos.

 

Os comentários estão encerrados.

%d blogueiros gostam disto: