OPERADORES DE GUINDASTES E EMPILHADEIRAS PROTESTAM EM FRENTE À BTP

FONTE PORTOS E NAVIOS

Mais de 100 operadores de guindastes e empilhadeiras da Brasil Terminal Portuário (BTP) bloquearam a entrada da empresa na tarde desta sexta-feira (26).

O motivo do protesto, segundo os trabalhadores, é devido a não convocação de mão de obra avulsa pela BTP. O protesto começou às 14h30 e durou aproximadamente duas horas.

Segundo o vice-presidente do Sindicato dos Operadores de Guindastes e Empilhadeiras (Sindogeesp), Paulo Antônio da Rocha, a empresa não tem respeitado a lei 12.815, que determina a contratação de profissionais vinculados ao Órgão Gestor de Mão de Obra (Ogmo).

“Entendemos que há muita gente trabalhando de forma irregular, sem ligação com o Ogmo. Além disso, negociamos com a empresa uma maior representatividade de trabalhadores avulsos, o que não tem acontecido”.

O sindicalista informa, no entanto, que a BTP só aceitou convocar os trabalhadores de empilhadeiras. “Eles estão intransigentes quanto aos operadores de guindastes de portêineres, mas sabemos que existe espaço para esses profissionais. Tem muito vinculado trabalhando em esquema de dobra”

Fim do ato

O protesto terminou por volta das 16h20, quando o Sindogeesp informou à categoria que haverá uma reunião na terça-feira (1) entre sindicato e empresa para discutir o assunto. “Provavelmente faremos a assembleia com os trabalhadores na quarta-feira (2)”.

Reclamações

“Há mais de um ano estamos brigando (com a empresa) para que o acordo seja cumprido e até agora nada. Tentamos negociar, mas a BTP só nos enrola. Recentemente um diretor da empresa disse que não convocaria mais avulsos”, reclama José Ricardo Ramos Francisco.

De acordo com Sidney Fernandes, a empresa chamou a polícia e Guarda Portuária para expulsá-los do local. “Estamos apenas reivindicando nosso direito”.

Resposta
Em nota, a Brasil Terminal Portuário informa que foi surpreendida com a manifestação de grupo de trabalhadores portuários avulsos do Sindogeesp, que impactou o fluxo regular de entrada de veículos em seu terminal.

“A BTP esclarece que cumpre integralmente o acordo coletivo celebrado com o Sindogeesp. O compromisso, firmado em janeiro de 2014, está em plena consonância com a legislação em vigor. As negociações para o novo acordo do biênio 2016/ 2017 estão em andamento”, diz o texto.

A empresa disse, ainda, que investe no desenvolvimento dos trabalhadores portuários. “Entre as iniciativas em prol da categoria está o treinamento gratuito para qualificação da mão de obra local em operação de portêiner e transtêiner, curso oferecido nas instalações da BTP em 2012”.

Fonte: A Tribuna online/MATHEUS MÜLLER

 

Os comentários estão encerrados.

AllEscort