Meta da Petrobras para produção de petróleo é de 2,77 milhões de bpd em 2021

RJ - MOVIMENTAÇÃO/PETROBRAS - GERAL - Movimentação em frente ao prédio da Petrobras localizado na Avenida Republica do Chile, n° 65, no centro do Rio de Janeiro, na manhã desta terça-feira (01). 01/04/2014 - Foto: ALE SILVA/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

FONTE PORTOS E NAVIOS – Matéria publicada em 20 de setembro de 2016

A Petrobras tem como meta produção 3,41 milhões de barris de óleo equivalente (boe) por dia de petróleo e gás natural, em 2021, no Brasil e no exterior. A projeção inclui a produção de petróleo e gás natural.

Considerando apenas a produção de petróleo e de gás associado a ele, o líquido de gás natural (LGN), a meta é de 2,77 milhões de barris por dia (bpd) no mesmo período.

Produção
O foco continua sendo a produção em águas profundas no Brasil, “atuando prioritariamente em parcerias estratégicas”, segundo o plano de negócios divulgado na manhã desta terça-feira, 20. A intenção é viabilizar e implantar projetos “com baixo preço de equilíbrio de petróleo”, o que, na prática, significa que a Petrobras vai dar prioridade ao pré-sal. Dos investimentos em exploração e produção, de US$ 60,6 bilhões, 76% serão para o desenvolvimento da produção e 13% para suporte operacional.

Nas demais áreas de negócio, os investimentos se limitarão à manutenção da operação e a projetos relacionados aos escoamento da produção de petróleo e gás natural. Além disso, a empresa possui meta de redução de custos a partir da implantação de novas ferramentas de gestão, como o “orçamento base zero”, de administração de contratos e de pessoal.

A Petrobras destacou ainda que a negociação com fornecedores vai seguir as métricas internacionais, o que significa que a empresa vai buscar no mercado interno preços e prazos iguais ou melhores do que os do mercado internacional. A política de conteúdo local é um risco ao sucesso do plano, informa a empresa.

Também são vistos como riscos as disputas judiciais, o atraso na entrega de plataformas e as discussões com a União sobre a área de pré-sal negociada na condição de cessão onerosa. Petrobras e governo discutem atualmente o valor dos recursos de petróleo e gás existentes na área e, dependendo da negociação, a Petrobras poderá ter que reembolsar o governo pelo acesso à reserva.

 

Fonte: Jornal do Comercio (PE)

 

Os comentários estão encerrados.

%d blogueiros gostam disto: