Margens sobre fretes aéreos e marítimos ajudaram a alavancar os lucros da K+N em 2015

FONTE GUIA MARÍTIMO

Com novos recordes atingidos, incluindo crescimento de dois dígitos no faturamento do setor de transitário de cargas, Kuehne + Nagel consegue bons resultados apesar do mercado refreado.

Redação

Com o anúncio de que o ano de 2015 foi “mais uma vez um sucesso”, o grupo suíço de logística Kuehne + Nagel declarou que, por conta do fortalecimento do Franco Suíço, volume líquido de transações da companhia chegou a CHF 16,7 bilhões (praticamente a mesma quantia em dólares, uma vez que o câmbio tem oscilado bastante próximo de 1,008). O resultado ficou 4,4% abaixo do atingido no ano anterior, porém foi compensado pelo faturamento bruto, que se manteve no mesmo patamar de 2015, subindo o resultado operacional da empresa (EBITDA) em 3.6% (CHF 1,041 bilhão).

Em um mercado caracterizado por fretes altamente voláteis e com fracas taxas de crescimento a K+N decidiu focar em “atividades lucrativas”. Durante o primeiro semestre, a iniciativa trouxe queda de movimentação à empresa, que foi posteriormente compensada no segundo período do ano pelo aumento dos volumes, especialmente nos mercados da América do Norte e intra-Asiáticos.

Enquanto o crescimento das exportações europeias ficou “estagnado, devido a diferenças nas demandas regionais”, a K+N declarou que houve “um expressivo aumento de volumes nos mercados de e para as Américas do Sul e do Norte”. Especialmente na indústria de contêineres refrigerados e cargas fracionadas LCL (less-than-container-load), a K+N “conquistou uma maior fatia de mercado e fortaleceu sua posição de liderança”.

No total, a companhia movimentou 3,8 milhões de Teus, a mesma quantidade registrada no ano anterior, porém com maior lucratividade: os ganhos brutos por Teu aumentaram em 5,2%, enquanto a taxa de conversão aumentou de 30,3% para 33.2%. O EBIT (lucros antes de juros, impostos, depreciação) aumentou em 15,3% na comparação com o ano anterior.

No setor de cargas aéreas, o grupo declarou que “teve êxito em permanecer em um mercado que oscilou entre estagnado e decrescente”, aumentando a tonelagem movimentada em 4,7%, para 1.250.000 t, o que manteve a empresa como segundo transitário aéreo global. A boa performance foi atribuída ao foco em indústrias específicas que demandam cargas aéreas, como a farmacêutica, aeroespacial e segmentos de perecíveis.

O portal de cotação imediata de frets, KN FreightNet, também trouxe benefícios à empresa, concretizando consultas em vendas efetivas. A lucratividade do setor aéreo da K+N foi refletida na taxa de conversão, que cresceu de 27% em 2015 para 29,3% em 2016, com aumento do EBIT em 11.3%.
O CEO da companhia, Detlef Trefzger, atribui a proximidade e a compreensão das demandas do cliente como ferramentas chave para a expansão do portfólio de serviços da companhia, permeando também as decisões futuras do Grupo.

Sucessão 
Em reunião do conselho de diretores realizada em 01 de março, a Kuehne + Nagel International AG, indicou o Vice-Chairman Dr. Joerg Wolle para presidir o conselho no Encontro Annual da companhia, que será realizado em maio de 2016. Na função, o Dr. Wolle seria o successor de Karl Gernandt, indicado como presidente da Kuehne Holding AG a partir de maio deste ano. A holding, pertencente a Klaus-Michael Kuehne, detém a maioria das ações da Kuehne + Nagel International AG. Após 17 anos na função, Bernd Wrede, Vice-Chairman do Conselho de Diretores desde 2002, declarou que não irá concorrer à reeleição para presidir o encontro.

 

Os comentários estão encerrados.

AllEscort