Maior incêndio da história do porto de Santos faz preço do açúcar subir

FONTE: FOLHA DE SÃO PAULO

Um incêndio de grandes proporções afeta armazém de 300 mil toneladas de açúcar que fica dentro do porto de Santos

Um incêndio de grandes proporções, iniciado por volta das 6h10 desta sexta-feira (18), atingiu seis armazéns de açúcar de um dos terminais do porto de Santos, no litoral paulista.

O incêndio já é considerado o maior da história do porto, segundo a autoridade portuária.

Quatro funcionários ficaram feridos e foram levados a hospitais do município.

O fogo concentrou-se no terminal da Copersucar, que tem seis armazéns usados exclusivamente para açúcar.

A capacidade estática do terminal da Copersucar é de aproximadamente 300 mil toneladas, segundo a administração do porto. Não se sabe, até o momento, o tamanho do prejuízo.

Além da área da empresa, o porto de Santos tem ao menos outros quatro terminais açucareiros, que não foram afetados.

Ao todo, o porto, que é o maior da América Latina, tem 62 terminais. Os demais estão operando normalmente.

O incêndio foi controlado após cerca de seis horas de trabalho dos bombeiros, que continuam no local nesta tarde para fazer o rescaldo.

PREÇOS

O incidente desta manhã afetou os preços do açúcar nas Bolsas mundiais. Logo cedo, a cotação subiu 6% e atingiu o maior nível em um ano.

Segundo Plinio Nastari, presidente da Datagro, consultoria do setor sucroenergético, isso ocorreu porque o Brasil é o maior exportador de açúcar do mundo –responde por cerca de 47% da exportação mundial–, e a Copersucar é maior exportadora do produto no país.

“A interrupção do embarque, mesmo que temporária, faz com que o mercado reaja, mesmo sabendo que é uma interrupção temporária”, afirmou. “Certamente, os outros terminais vão procurar compensar esse episódio. A capacidade portuária do Brasil é suficiente.”

ESTEIRA

Segundo a Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), responsável pelo porto, o fogo começou em uma esteira externa, que ficava presa a uma estrutura aérea e transportava o açúcar dos armazéns até próximo ao cais.

A própria esteira, feita de borracha e lona, teria levado o fogo aos armazéns internos. O teto de um deles chegou a desabar. A causa do incêndio ainda é desconhecida e deverá ser investigada.

Em nota, a Copersucar afirmou que sua prioridade é atender eventuais vítimas. “Há quatro brigadistas feridos, sem gravidade, já devidamente atendidos. As causas do incêndio estão sendo apuradas”, informou a empresa.

De acordo com a Codesp, o porto de Santos movimentou 12,8 milhões de toneladas de açúcar de janeiro a agosto deste ano.

Os comentários estão encerrados.

%d blogueiros gostam disto: