EX-GERENTE DA PETROBRAS AFIRMA QUE SINDICATO FEZ DOAÇÃO À CAMPANHA DE LULA EM 2002

FONTE PETRONOTÍCIAS

Armando

Novas acusações partem de dentro da Petrobrás contra o sistema político nacional.

Em depoimento concedido a uma página institucional da empresa, o ex-gerente de Responsabilidade Social da estatal, Armando Tripodi (foto), afirma que petroleiros da Bahia fizeram uso de impostos sindicais para auxiliar a campanha de Lula à presidência, em 2002, medida que é proibida pela legislação eleitoral brasileira. Segundo o ex-funcionário, os recursos foram utilizados no aluguel de veículos e na comunicação da campanha, em valores que não foram registrados na prestação de contas daquele ano.

O Sindicato dos Químicos e Petroleiros da Bahia teria apoiado a candidatura por meio da produção e divulgação de materiais de campanha, de acordo com Tripodi, também conhecido como Bacalhau. O ex-gerente, que consta na lista de suspeitos por envolvimento no esquema de propinas da estatal, afirma que os sindicalistas também deram apoio ao ex-presidente nas eleições de 1998.

A doação de sindicatos a campanhas políticas é proibida, e as entidades também são vetadas de arcar diretamente com custos do gênero. Tripodi, que chegou a prestar depoimento à Polícia Federal na fase Acarajé da Lava-Jato, já atuou como chefe de gabinete da presidência da Petrobrás entre 2003 e 2012, durante as gestões de José Eduardo Dutra e José Sérgio Gabrielli.

 

Os comentários estão encerrados.

AllEscort