Eike busca fôlego financeiro em acordo com BTG

FONTE: ESTADAO.COM.BR

Além de abrir linhas de crédito para o grupo EBX, o banqueiro André Esteves também terá influência nas estratégias de negócios

MÔNICA CIARELLI , ANTONIO PITA / RIO – O Estado de S.Paulo

O empresário Eike Batista fechou um acordo financeiro com o banco BTG Pactual, de André Esteves, para dar mais fôlego financeiro aos seus negócios, que passam por uma crise de confiança desde junho do ano passado, quando a petroleira do grupo anunciou metas de produção abaixo do esperado inicialmente no campo Tubarão Azul.

Em nota, a holding EBX informou que a “dobradinha” envolve aconselhamento financeiro e abertura de linhas de crédito para os projetos do grupo. “Esta parceria é, acima de tudo, uma parceria para o sucesso do Brasil”, afirmou Eike Batista. Diante dos reveses enfrentados por seus negócios, o empresário caiu do 7º para o 100º lugar na lista dos bilionários da revista Forbes. Em um ano, sua fortuna encolheu em US$ 19,4 bilhões.

A EBX informou que será criado um com um Comitê de Gestão Estratégica e Financeira formado por executivos da EBX e de sócios do BTG Pactual. O comitê, que será comandado por Eike Batista e por André Esteves, vai se reunir semanalmente para discutir estratégias de negócios. Na nota, a EBX destaca que o negócio acordo não implica em exclusividade do BTG na prestação de serviços financeiros para o grupo do empresário.

Pelo negócio, a remuneração do banco de investimentos será calculada com base no desempenho das companhias do conglomerado. Segundo Eike, o modelo adotado permitirá um alinhamento total dos interesses. “Esta parceria exemplifica, uma vez mais, nossa disposição de apoiar projetos únicos do setor real da economia e o empreendedorismo nacional, do qual o Eike Batista é um ícone”, afirmou Esteves.

Nova empresa. O grupo EBX, do empresário Eike Batista, também anunciou ontem a criação de uma joint venture com o braço americano da companhia britânica BP para comercializar e distribuir combustíveis navais. A MFX (Marine Fuel X) deve iniciar atividades ainda neste ano no Porto de Açu, norte fluminense, com foco no mercado local.

O anúncio causou alta de 8,36% nas ações da LLX na BM&F Bovespa. A empresa de logística do grupo é a responsável pela construção do porto. O valor de investimento da nova empresa, que atuará com a marca BP Marine, não foi divulgado.

Para analistas, a empresa atenderá a uma demanda de mercado que a Petrobrás estaria ignorando. “É um movimento que o Eike Batista já poderia ter feito há mais tempo, de olhar as lacunas que a Petrobrás deixa”, disse o consultor Adriano Pires.

 

 

Os comentários estão encerrados.

AllEscort