Demanda continua alta para sondas e embarcações

FONTE: PORTAL NAVAL

A queda na demanda de investimentos na indústria de óleo e gás não parece generalizada. O grupo Bravante contraiu empréstimo de US$ 249 milhões avalizados pelo Tesouro dos Estados Unidos para a construção, em um estaleiro da Flórida, de cinco navios da apoio marítimo para as atividades exploratórias de petróleo da Petrobras no Golfo do México e no Brasil. O Bravante 5, primeiro da série, já está em fase de conclusão e deverá ser entregue em outubro. Já a Sete Brasil contratou a construção de 29 sondas para águas ultraprofundas a cinco estaleiros brasileiros. Dois equipamentos já começaram a ser montados em Cingapura e serão finalizados no Brasil para atender às exigências de pelo menos 65% de conteúdo local.

O empréstimo obtido pela Bravante faz parte de um investimento maior, da ordem de R$ 2 bilhões, que o grupo planeja aplicar em cinco anos para ampliar a frota própria de embarcações de apoio marítimo, que passará de doze para 23 navios. A companhia tem 78 embarcações em operação. Quarenta navios estão dedicadas ao transporte de combustível em Paranaguá, Santos, Rio de Janeiro, Vitória e Recife, e 38 são barcos de apoio offshore. Parte dos novos barcos de apoio marítimo serão construídos no estaleiro do grupo, em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro.

A decisão de contratar as cinco embarcações no estaleiro Eastern Shipyard, em Panamá City, na Flórida, levou em conta a velocidade da demanda por esses navios no mercado brasileiro. As embarcações suportam até 4,5 mil toneladas de carga e vão operar em águas rasas e profundas, atendendo às explorações do pré-sal.

Já a Sete Brasil recebeu em agosto a aprovação do Conselho Diretor do Fundo da Marinha Mercante (FMM) de concessão de uma linha de crédito de até R$ 10,3 bilhões para a construção de oito sondas de perfuração de última geração, parte do portfólio total de 29 equipamentos da empresa hoje em construção em cinco estaleiros brasileiros. Especializada na gestão de ativos para prestação de serviços na indústria de petróleo offshore, a Sete Brasil é uma das maiores empresas mundiais na área de sondas de perfuração especializadas em águas profundas e ultraprofundas. Os recursos aprovados pelo Conselho Diretor do FMM serão repassados mediante a contratação de financiamentos de longo prazo por agentes financeiros autorizados.

Máquinas e equipamentos usados no setor de óleo e gás são fonte de preocupação da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq). De acordo com a entidade que representa as companhias de bens de capital mecânico, as empresas que atuam neste segmento estão sentindo a redução dos pedidos da Petrobras, por conta da dificuldade de caixa por que passa a estatal.

A Abimaq não divulga o faturamento das empresas por nichos de atuação, mas a queda das vendas de todo o setor foi de 6,7% neste ano até agosto, na comparação com o mesmo período do ano passado, e somou R$ 52,2 bilhões. Apenas em agosto, as receitas somaram R$ 7,3 bilhões, valor 2,1% abaixo do volume registrado no mesmo mês de 2012.

Os comentários estão encerrados.

%d blogueiros gostam disto: