Brasil comemora o dia da Amazônia Azul de olho nos novos submarinos para monitorar nossa costa

FONTE PETRONOTÍCIAS – Matéria publicada em 16 de novembro de 2020

Nesta segunda-feira (16), o Brasil celebra o Dia Nacional da Amazônia Azul, uma extensa área oceânica de 5,7 milhões de km² que o país tem o direito de explorar.

Além da sua grande biodiversidade, é nesta região onde estão as reservas do pré-sal e 45% do pescado brasileiro. A área também serve de rota marítima para o Brasil escoar mais de 95% do comércio exterior. O dia é particularmente especial também para uma empresa que leva, literalmente, a Amazônia Azul na alma e no nome. A estatal Amazul é parte importante da engrenagem do Programa de Desenvolvimento de Submarinos (PROSUB), que prevê a construção do primeiro submarino brasileiro de propulsão nuclear e de outras quatro unidades convencionais. A nova frota da Marinha será usada para patrulhar e defender as riqueza da costa brasileira. [Você pode conhecer mais sobre a Amazul na seção VÍDEO EM DESTAQUE, ao lado desta reportagem]

A Amazul está envolvida no desenvolvimento de parte do protótipo do reator que será usado no futuro submarino nuclear brasileiro (SN-BR). Chamado de LABGNE, o protótipo poderá simular em condições seguras os diversos sistemas eletrônicos integrados ao reator, antes de sua instalação no submarino com propulsão nuclear. Além da sua finalidade específica, o projeto terá desdobramentos em outros segmentos.

240719 – Sede da Amazônia Azul Tecnologias de Defesa S.A. – AMAZUL – São Paulo – SP

O Labgene trará um arraste tecnológico com capacidade de beneficiar vários setores, pois a mesma planta poderá ser empregada na geração de energia elétrica para localidades isoladas, em Reatores Modulares Pequenos (Small Modular Reactors – SMR), e na dessalinização de água”, explicou o diretor-presidente da Amazul, Antonio Carlos Guerreiro (foto).

O escopo de atuação da Amazul não se restringe ao programa de desenvolvimento de submarinos. A companhia anunciou recentemente que está desenvolvendo estudos para a criação de centros de irradiação de alimentos no Brasil. Como se sabe, as tecnologias nucleares podem ser usadas para irradiação de alimentos, medicamentos, cosméticos, insumos para a área médica e outras indústrias. A ideia da Amazul é buscar, no exterior, os fornecedores de equipamentos e sistemas de irradiação que deverão atender às necessidades do projeto. Será feita uma chamada pública internacional para a oferta dessas tecnologias.

   Ilustração da área da Amazônia Azul

Já na área da saúde, a Amazul está concluindo, em parceria com a Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN) e a empresa argentina Invap, o projeto detalhado do Reator Multipropósito Brasileiro (RMB). A partir desse projeto, começará o desenvolvimento do empreendimento e as obras de construção, no município de Iperó (SP). O RMB garantirá a autossuficiência do Brasil na produção de radioisótopos, substâncias usadas para fabricação de radiofármacos utilizados na medicina nuclear.

O “Dia Nacional da Amazônia Azul” foi instituído pela Lei nº 13.187, de 11 de novembro de 2015, mesmo dia que entrou em vigor a Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar. A Marinha do Brasil, por meio de estudos geopolíticos voltados para o mar, a “Oceanopolítica”, tem por objetivo conscientizar os brasileiros sobre a importância do nosso território marítimo.

 

 

Os comentários estão encerrados.

AllEscort