Bovespa oscila sem viés claro com exterior e política em foco

FONTE G1 – Matéria publicada em 01 de setembro de 2016

Na véspera, o Ibovespa caiu 1,15%, a 57.901 pontos.
No mês, a bolsa acumulou alta de 1,03%; no ano, avanço é de 33,6%.

Do G1, em São Paulo

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) opera na instabilidade nesta quinta-feira (1), com agentes financeiros ainda digerindo o noticiário político nacional após a votação final do impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff. O Senado aprovou a cassação do mandato por 61 votos a 20. Há ainda influência da alta de bolsas globais e fraqueza de commodities.

Às 11h33, o Ibovespa, principal indicador da Bolsa de São Paulo, caía 0,22%, a 57.773 pontos. Veja a cotação.

Petrobras opera em alta, apesar da queda dos preços do petróleo, favorecida por melhora da recomendação das ADRs da estatal por analistas do BTG Pactual.

O Senado aprovou o impeachment da presidente Dilma Rousseff, mas manteve seus direitos políticos. A decisão gerou desconforto entre parlamentares da base aliada do novo governo, fazendo o mercado reagir negativamente, segundo a agência Reuters, com medo de que esses atritos se traduzam em maior dificuldade na aprovação de medidas de austeridade fiscal. O foco agora está no andamento da agenda fiscal e de investimentos do governo.

Na véspera, o Ibovespa fechou o último pregão do mês de agosto em queda de 1,15%, a 57.901 pontos. No mês, a bolsa acumulou alta de 1,03%. No ano, o avanço do principal índice da Bovespa é de 33,6%.

A bolsa segue como o melhor investimento no acumulado no ano, segundo ranking de desempenho das principais aplicações financeiras.

 

 

Os comentários estão encerrados.

%d blogueiros gostam disto: