DEPOIS DO LEILÃO, PEDRO PARENTE FAZ NOVO ALERTA AOS DEPUTADOS DO RIO: TAXAR INVESTIMENTOS IMPEDE CRIAR RIQUEZAS

Novas prioridades representam menos de 5% do total concedido pelo FMM na última reunião
29/03/2018
Petrobras adere à principal iniciativa do setor de óleo e gás para reduzir emissões de gases de efeito estufa
29/03/2018

DEPOIS DO LEILÃO, PEDRO PARENTE FAZ NOVO ALERTA AOS DEPUTADOS DO RIO: TAXAR INVESTIMENTOS IMPEDE CRIAR RIQUEZAS

FONTE PETRONOTÍCIAS – Matéria publicada em 29 de março de 2018

Depois da realização do leilão, o Presidente da Petrobrás, Pedro Parente, deu uma entrevista onde falou sobre o apetite mais voraz da Petrobrás nesse leilão comparado ao anterior, e se mostrou muito satisfeito com os resultados.

Exaltou as parcerias na empresa com outras petroleiras, onde divide o comando das operações na exploração dos campos e voltou a dar um recado direto aos deputados do Rio de Janeiro, que querem impor um ICMS de 20% no Repetro. “Taxar investimentos impede que se crie riquezas”. Veja a entrevista na íntegra:

– Existe a certeza que essas áreas pertencem ao pré-sal, na Bacia de Campos?

– Certeza não existe porque são áreas exploratórias, mas certamente são áreas com boas perspectivas muito boas. Vocês viram que houve uma disputa muito grande naquela área. Muitas empresas com porte mundial de primeira linha concorreram. Então, ali mostrou que há uma possibilidade na avaliação de todas as empresas que são áreas com boas perspectivas.

– O que o senhor acha de terminar com aquele desenho geográfico do polígono do pré-sal ?

– Eu não posso me manifestar sobre isso, porque nós somos interessados nesta questão e temos direito de preferência do polígono. Então, não posso me manifestar porque não seria, no meu modo de ver, uma coisa correta de fazer. É uma decisão das autoridades e nós temos que aguardar e operar de acordo com esta decisão.

– E sobre o apetite da empresa, que fez lances altos com parceiros?

 Olha, veja que está absolutamente dentro do que nós dissemos à imprensa, que seríamos muito seletivos. E naquilo que achamos que são blocos, que são áreas com muito potencial, nós vamos estar muito firmes buscando essas áreas para continuarmos construindo o nosso portfólio de exploração. Então, eu quero também chamar a atenção que não foi apenas a Bacia de Campos que recebeu os lances, mas outras bacias também receberam propostas. Portanto, realmente comprovando aquilo que eu disse anteriormente que seria um bom leilão.

– E a empresa tem dinheiro em caixa para fazer esses investimentos?

– Tudo está absolutamente dentro das nossas previsões. Dentro dos limites autorizados dentro da governança da empresa. Não afeta nada as nossas metas em relação aos pagamentos desses bônus. Portanto, não tem aqui qualquer motivo em relação às metas, que estão totalmente mantidas. Você, naturalmente, tem um impacto na proporção da nossa participação desses campos e a gente então tem toda condição, dentro da nossa previsão de fluxo de caixa, não temos nenhuma questão relacionada a isso. Na realidade, tivemos hoje um anúncio importante de uma oferta de recompra de títulos no mercado internacional com grande sucesso, com uma oferta superior  ao nosso limite  e estamos exercendo  esta recompra, mostrando  que o nosso caixa vai muito bem.

–  E sobre a Petrobrás não atuar  como operadora ?

– Você tem áreas que nós temos operadores e áreas que nós não somos operadores, mas temos participação importante. É da regra do jogo do mercado de óleo e gás no mundo todo. Então, ter a oportunidade de participação  sem ser operadores vai trazer para nós uma experiência nova que pode agregar muito conhecimento, técnicas diferentes daquelas que utilizamos para nos ajudar. Então, é certamente uma coisa importante para empresa, muito boa para a Petrobrás.

– Mesmo saindo os blocos mais vantajosos, o senhor considera este leilão um grande sucesso?

– Pelo que foi arrecadado, não é? Um valor superior a R$ 8 bilhões de bônus. As autoridades falavam em uma estimativa de R$ 3 bilhões, com os dois blocos incluídos. Portanto eu acho que os números falam por si.

– Como o senhor avalia o resultado?

– Veja que se comprova  aquelas avaliações  aquelas previsões que nós fazíamos de que realmente esta área  de águas profundas brasileiras  são áreas de muita atenção e atratividade n campo do negócio  de óleo e gás, mesmo num contexto  que temos toda esta oferta de óleo não convencional dos Estados Unidos, temos uma visão da sociedade mais  restritiva  em relação a combustíveis fósseis. Ainda assim,  dadas as características  muito positivas  dessas áreas nós temos  comprovadas  nesse leilão

– O que significa para o Rio de Janeiro, o resultado da Bacia de Campos?

-Olha, é muito importante que possa continuar havendo uma visão de estimular os investimentos  e eu quero voltar a insistir numa coisa aqui que eu já falei de continuar estimulando investimentos é muito importante que não se taxe investimentos porque impostos sobre investimentos impede que se crie essa riqueza toda que eu mencionei

–  Neste leilão, a Petrobrás botou mais a mão bolso, foi mais audaciosa ?

– Não. A avaliação que é feita é em cima de cada área oferecida. Em cima dessas áreas nós fazemos uma avaliação qual é o valor máximo que podemos pagar. Portanto, naturalmente, a questão de caixa, endividamento é levado em conta, mas quando nós fazemos a avaliação que podemos pagar, não é porque estamos numa situação de caixa muito melhor. É pelo interesse específico e avaliação  econômica específica  de cada campo.

 

 

Compartilhe Isso:

Comentários

comments

Deixe uma resposta

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com