TODOS OS BLOCOS DA BACIA DE CAMPOS FORAM ARREMATADOS, SOMANDO R$ 7,5 BILHÕES DE BÔNUS

Governo obtém R$ 8 bi com leilão de áreas de petróleo dominado por Petrobras e Exxon
29/03/2018
Desemprego sobe em fevereiro e Brasil tem menor número de carteira assinada desde 2012, diz IBGE
29/03/2018

TODOS OS BLOCOS DA BACIA DE CAMPOS FORAM ARREMATADOS, SOMANDO R$ 7,5 BILHÕES DE BÔNUS

FONTE PETRONOTÍCIAS – Matéria publicada em 29 de março de 2018

Por Davi de Souza (davi@petronoticias.com.br)

A 15 Rodada ainda está só no começo, mas já tem o seu grande destaque. A Bacia de Campos registrou os maiores lances feitos até então e todos os blocos ofertados na região foram comprados, o que demonstra o enorme interesse por parte das petroleiras.

A americana ExxonMobil (40%), Petrobrás (30%) e QPI Brasil (30%) fizeram a maior oferta do leilão até agora. O grupo arrematou por R$ 2,8 bilhões o bloco C-M-789. A operação da área vai ficar com a Exxon.

Outro bloco que movimentou um grande valor foi o C-M-657, que foi adquirido pelo consórcio formado por ExxonMobil (40%), Statoil (30%) e Petrobrás (30%). O valor oferecido pela região foi R$ 2,1 bilhões. Neste caso, a estatal brasileira será a operadora da área. A disputa neste bloco contou ainda com uma oferta de R$ 1,3 bilhão feita pelo consórcio composto por Shell, Petrogral e Chevron.

A Petrobrás fez outra importante aquisição na Bacia de Campos, em parceria com Statoil (20%) e ExxonMobil (40%). O grupo ofertou R$ 1,5 bilhão pelo bloco C-M-709. A estatal será a operadora da região, com participação de 40%. O bloco C-M-753 foi adquirido pelas empresas ExxonMobil (40% e operadora); QPI (30%) e Petrobrás (30%) por R$ 330 milhões.

Já o bloco C-M-755 foi comprado pela BP Energy (60% e operadora) e Statoil (40%) por R$ 43,3 milhões. Este mesmo consórcio, com as mesmas fatias de participações, também levou o bloco C-M-793, com um lance de R$ 43,9 milhões.

A Shell também conseguiu fazer aquisições. A companhia anglo-holandesa, em consórcio com Petrogral (20%) e Chevron (40%), faturou o bloco C-M-791 por R$ 551,1 milhões. A Shell será a operadora. O bloco C-M-821 foi arrematado pelas empresas Repsol (40% de participação e operação), Wintershall (20%) e Chevron (40%) com uma oferta de R$ 51,7 milhões. O mesmo consórcio comprou também o bloco C-M-823 por R$ 40,08 milhões.

No total, foram ofertados nove blocos na Bacia de Campos, totalizando 6.160,92 km². Os campos estão localizados em região de águas ultraprofundas e com potencial para descobertas de grandes acumulações de petróleo no pré-sal. A Bacia de Campos é a maior produtora de petróleo do Brasil, tendo produzido 1,25 milhão de barris por dia em janeiro, e a segunda de gás natural, com 23,5 milhões de m³ diários no mesmo mês.

 

Compartilhe Isso:

Comentários

comments

Deixe uma resposta

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com