Repensar Macaé e Repetro são focos de nova estratégia

Companhia Docas desmente retirada da Transpetro do Porto de Cabedelo
16/04/2018
QUEDA ACENTUADA NA PRODUÇÃO DE PETRÓLEO DA VENEZUELA OBRIGA O DITADOR MADURO A MUDAR REGRAS NA EXPLORAÇÃO
16/04/2018

Repensar Macaé e Repetro são focos de nova estratégia

FONTE TN PETRÓLEO – Matéria publicada em 16 de abril de 2018

O futuro das operações do petróleo na Bacia de Campos, através da garantia de investimentos das grandes operadoras offshore, em especial a Petrobras, unifica duas mobilizações importantes que nascem em Macaé, com objetivo de garantir a construção de um novo marco para as atividades de óleo e gás no Estado e no país.

Através do “Repensar Macaé” e do “Repetro Já”, instituições que defendem o desenvolvimento econômico e sustentável da região, através do potencial ainda previsto nas reservas de petróleo situadas no pós-sal e nos campos maduros, conclamam agora a sociedade para participar de atos que visam provocar reações sociais para enfrentar decisões políticas que podem colocar a restruturação da dinâmica offshore em decadência.

Nesta semana, atos capitaneados pela Comissão Municipal da Firjan, com o respaldo da Associação Brasileira das Empresas de Serviços do Petróleo (Abespetro), da International Association of Drillings Contractors (IADC) e Rede Petro-Bacia de Campos irão defender os principais pontos da “agenda do petróleo”, fundamentais para a recuperação de mais de 500 mil postos de trabalho, do ramo do petróleo, fechados pela crise, além da abertura de novas 250 mil vagas.

Na defesa pelo Repetro – sistema de tributação especial para operações do petróleo – as instituições lançam campanhas que visam explicar para a sociedade macaense a importância de frear dois projetos em tramitação na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj). Até mesmo um protesto está sendo organizado pela Comissão Permanente de Desenvolvimento Econômico, da Câmara de Vereadores, para ser realizado em frente ao parlamento estadual.

“A sociedade precisa conhecer o grande risco que a nossa região corre, caso a Alerj modifique as regras do Repetro, reduzindo assim os efeitos desta tributação especial. O que está em jogo são bilhões em impostos que serão perdidos, assim como a perda de milhares de postos de trabalho”, alerta o presidente da Comissão Municipal da Firjan, Evandro Cunha.

O conselho empresarial da cidade também prepara agenda para um novo encontro do “Repensar Macaé”, para a apresentação dos projetos focados em promover o desenvolvimento econômico da cidade, impulsionado pela vocação do petróleo.

A ideia é que no segundo encontro do Repensar Macaé sejam definidas ações efetivas para garantir a consolidação de pautas antigas, como a duplicação da BR 101 e as obras de reforma da pista do Aeroporto, com base no processo de privatização planejado pelo governo federal.

 

Fonte: O Debate, 16/04/2018

 

Compartilhe Isso:

Comentários

comments

Deixe uma resposta

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com