Empresários reagem e querem manter o Aeroporto de Macaé na lista de privatização

Desafios para a gestão dos recursos hídricos
28/06/2018
Fachin libera para plenário do STF pedido de liberdade de Lula
28/06/2018

Empresários reagem e querem manter o Aeroporto de Macaé na lista de privatização

FONTE TN PETRÓLEO – Matéria publicada em 28 de junho de 2018

Com o título “A Importância do Aeroporto de Macaé para a indústria de Óleo e Gás”, lideranças empresariais que representam a cadeia produtiva do petróleo local elaboraram um manifesto, a ser entregue ao Ministério de Transportes, Portos e Aviação Civil, que defende o atual modelo de concessão conjunta entre os Aeroportos de Macaé e Vitória, processo que deve ser consolidado ainda neste ano.

Produzido durante encontro realizado na última terça-feira (25) na cidade, o manifesto é fruto da participação de representantes da indústria local na audiência pública realizada pela Agência Nacional da Aviação Civil (ANAC) no início do mês, onde o governador do Espírito Santo, Paulo Hartung, defendeu a retirada do Aeroporto de Macaé do bloco de concessão que integra também a base aérea de Vitória.

Assinado por representantes da Comissão Municipal da Firjan, da Associação Brasileira das Empresas de Serviços do Petróleo (ABESPetro), da International Association of Drilling Contractors (IADC), da Associação Comercial e Industrial de Macaé (ACIM), Rede Petro-Bacia de Campos, Sociedade de Engenheiros do Petróleo (SPE) e do Convention and Visitors Bureau (CVB), o manifesto será entregue nesta sexta-feira (29) à deputada federal Soraya Santos, que já agendou reunião como o Ministro Valter Casimiro, de Transportes, Portos e Aviação Civil, para apresentar a demanda das lideranças de Macaé.

“O edital já foi colocado em consulta pública. Nós defendemos a concessão dos aeroportos em bloco e isso vai ser garantido”, disse o Ministro.

No manifesto, as lideranças destacam as potencialidades do Aeroporto de Macaé com mais de 2 milhões de metros quadrados de área disponível para ampliação; disponibilidade de hangares e áreas operacionais /comerciais por serem exploradas; pátio de estacionamento com capacidade para operar helicópteros e voos comerciais de forma simultânea, obedecendo os padrões de Segurança operacional; terminal com capacidade para operar mais de 700 mil passageiros /ano; disponibilidade de mais 25 áreas comerciais a explorar e 10 balcões de check-in.

Confira trecho do manifesto:

“O Município de Macaé é mundialmente reconhecido pela sua importância para indústria de óleo e gás, e concentra as maiores empresas mundiais desse segmento, já que reúne as condições necessárias para o desenvolvimento e fortalecimento dessa indústria – que necessita de eficaz infraestrutura rodoviária, ferroviária, universidades, hotelaria, centros de pesquisa, etc. Nesse sentido, a retomada das operações do aeroporto de Macaé irá garantir que a indústria de óleo e gás mantenha os seus investimentos, com a consequente geração de renda e empregos para o município e toda região Norte Fluminense. Além disso, o aeroporto era o requisito que estava faltando para a cidade fazer jus, novamente, ao seu merecido título de Cluster da Indústria de O&G”.

Fonte: O Debate, 28/06/2018

 

Compartilhe Isso:

Comentários

comments

Deixe uma resposta

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com