Vazamento de óleo em plataforma desativada no campo de Espadarte já foi controlado pela Petrobrás

No setor de energia teremos investimentos de R$ 1,8 trilhão até 2027, diz ministro Bento Albuquerque na Petrobras
04/01/2019
Preços do petróleo sobem com negociações entre EUA e China e cortes da Opep
04/01/2019

FONTE PETRONOTÍCIAS – Matéria publicada em 04 de janeiro de 2019

O vazamento de quase 1.500 litros de óleo cru provocado por uma plataforma desativada da Petrobrás no litoral norte do Rio de Janeiro já está controlado.

O acidente ocorreu na manhã de quarta-feira (2) e produziu uma mancha de 30 quilômetros a 130 quilômetros da costa de Macaé. O Ibama já sobrevoou o local para fazer o monitoramento. O vazamento foi em uma plataforma localizada no campo de Espadarte, na Bacia de Campos.  Não há ainda informações sobre a quantidade de óleo contida no tanque da plataforma, nem qual seria a causa do rompimento na estrutura, desativada desde o dia 1º de julho do ano passado, para passar pelo processo de descomissionamento.

A Petrobrás comunicou o acidente à Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP) ontem à tarde (3). Três embarcações de apoio foram deslocadas até a região para atuar na dispersão da mancha. Segundo o Ibama, após vistoria, o órgão vai aplicar as sanções previstas na legislação. A plataforma teve a produção interrompida e é umas muitas que passarão pelo processo de descomissionamento que está em andamento na companhia. A Petrobrás disse que o “Plano de Emergência foi imediatamente acionado por ambas as empresas. Medidas de controle da situação foram tomadas, cessando o vazamento”. Agora, os órgãos reguladores vão investigar as causas do acidente em cooperação com a Modec, que operava a plataforma.

Comentários

comments

Os comentários estão encerrados.