PETROLEIROS DA NORUEGA ENTRAM EM GREVE, MAS EQUINOR DIZ QUE PRODUÇÃO NÃO FOI AFETADA

Fila de navios para embarcar açúcar em Paranaguá quase zera com fretes e oferta menor
11/07/2018
IGP-M registra inflação de 8,13% em 12 meses na 1ª prévia de julho
11/07/2018

FONTE PETRONOTÍCIAS – Matéria publicada em 10 de julho de 2018

Trabalhadores de plataformas norueguesas entraram em greve nesta terça-feira (10) após o sindicato SAFE não chegar a um acordo salarial com a Associação de Armadores da Noruega.

O movimento trouxe algumas consequências: a Shell se viu forçada a paralisar temporariamente sua produção no campo de Knarr, que tem produção diária de 23,9 mil barris. No entanto, a estatal Equinor (antiga Statoil) afirmou que sua produção não foi prejudicada com a greve.

A petroleira norueguesa também chegou a informar que o movimento afetou a operação de três plataformas e um navio em operações, mas que isso não influenciaria na sua produção.

No caso da Shell, os trabalhadores da Teekay empregados no FPSO Knarr usado para produção no campo de igual nome, aderiram à greve, o que forçou a companhia a fechar a produção do ativo. De acordo com um comunicado do sindicato SAFE, um total de 669 trabalhadores estão participando da paralisação.

 

 

Comentários

comments

Os comentários estão encerrados.