OS CHINESES QUEREM O GÁS NATURAL AMERICANO PARA CRESCER E EQUILIBRAR A BALANÇA COMERCIAL ENTRE OS DOIS PAÍSES

Avança revitalização do rio São Francisco
22/11/2017
Temer cede a PMDB e escolhe Marun para Secretaria de Governo, dizem fontes
22/11/2017

OS CHINESES QUEREM O GÁS NATURAL AMERICANO PARA CRESCER E EQUILIBRAR A BALANÇA COMERCIAL ENTRE OS DOIS PAÍSES

FONTE PETRONOTÍCIAS – Matéria publicada em 22 de novembro de 2017

Os chineses podem estar interessados em comprar gás natural americano. O comércio foi o topo da agenda durante a visita do presidente americano, Donald Trump, à China. Trump quer enfrentar o enorme déficit comercial com a China que totalizou US$ 347 bilhões no ano passado, de acordo com o Departamento de Comércio dos EUA.

Um especialista em pesquisa do Ministério do Comércio da China,  observa que cerca de metade dos recursos de energia da China provém de importações. Bai Ming, vice-chefe do instituto de pesquisa do ministério encarregado de estudar os mercados internacionais, disse que “Os Estados Unidos precisam de um grande mercado internacional para suas exportações de energia, e a China é uma escolha ideal”, afirmou Bai Ming, vice-chefe do instituto de pesquisa do ministério encarregado de estudar os mercados internacionais. Atualmente, a principal fonte de energia da China vem do carvão, que representa 64% da produção total de energia do país, em comparação com 31% nos Estados Unidos. O gás natural representa menos de 6% da produção de energia do país, de acordo com dados oficiais da Administração Nacional de Energia da China. A China está construindo dezenas de usinas nucleares, que não emitem poluentes, para fazer frente às necessidades energéticas do país, sem poluir o ambiente.

A  Chinese Academy of Social Sciences, afiliada ao Estado, chamou o potencial comércio de vendas de gás natural com os EUA de vantajoso, observando também que o desejo dos Estados Unidos pela Sinopec, a companhia de petróleo estatal chinesa, para que invista no petróleo americano, seria um desdobramento favorável para a China. Atualmente, os dois países estão  negociando um plano de investimentos de US$ 7 bilhões entre empresas americanas e a Sinopec para a construção de um gasoduto no Texas e a expansão de uma instalação existente de estocagem de petróleo nas Ilhas Virgens americanas.

Muitos dos 29 executivos que acompanharam Trump em Pequim são grandes players do setor de energia dos Estados Unidos. O governador do Alaska, Bill Walker, também participa das  negociações.  O Estado americano é a fonte de grandes depósitos de gás natural. Ao mesmo tempo, o especialistas chineses acreditam que os Estados Unidos deveriam relaxar as restrições sobre as exportações americanas de alta tecnologia se os americanos quisessem mais avanços na questão do déficit comercial. Os Estados Unidos provavelmente não deverão ceder nisso, porém, como o regime chinês tem feito mais consistentemente comércio na própria China, isto também dificulta para as empresas estrangeiras de alta tecnologia.

 

Compartilhe Isso:

Comentários

comments

Deixe uma resposta

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com