Número maior de meganavios gera problema para transportadoras

Porto do Pecém movimenta 15,8 mil toneladas e fecha o ano com crescimento 41%
10/01/2018
Preços de alimentos voltam a subir no varejo e IGP-M avança 0,75% na 1ª prévia de janeiro, diz FGV
11/01/2018

Número maior de meganavios gera problema para transportadoras

FONTE PORTOS E NAVIOS – Matéria publicada em 10 de janeiro de 2018

As empresas de transporte marítimo de contêineres se preparam para um ano desafiador — terão mais espaço disponível para transportar mercadorias do que carga.

Corrine Png, CEO da firma de pesquisa Crucial Perspective, estima que a capacidade de transporte de mercadorias em navios de contêineres aumentará 5,9 por cento neste ano, superando o crescimento da demanda pela primeira vez desde 2015.

Isto ocorre, em grande parte, porque mais de 40 enormes navios de contêineres encomendados há pelo menos dois anos estão prontos para serem entregues para serviço, criando uma abundância de capacidade em navios. Como parte do espaço deverá permanecer vazio, as linhas de contêineres podem ser forçadas a cobrar taxas mais baixas para o transporte de mercadorias justamente no momento em que tentam superar anos de prejuízos acumulados devido ao declínio do setor, que provocou o colapso de pelo menos uma empresa.

Mais de 90 por cento do comércio global é transportado por via marítima. A seguir, mostramos o que há no caminho das empresas de transporte marítimo.

  1. Mais espaço para transportar bens. Com mais navios de grande porte entregues e colocados em operação em 2018, a capacidade de transporte de carga dos navios deverá ter a maior expansão em três anos.
  2. Podem chegar mais navios e ainda mais capacidade. Algumas linhas de contêineres podem aproveitar os preços atualmente baixos da construção naval para encomendar mais embarcações, diz Png. Como a história já mostrou, as tarifas de frete marítimo tendem a ser espremidas com a expansão das encomendas de navios devido à preocupação de que haverá excesso de espaço.
  3. Compradores asiáticos e europeus são os que mais gastam. As empresas precisam levantar um total combinado de US$ 144 bilhões para receber entregas de todos os navios deste ano. Desse total, 73 por cento virão de compradores da Ásia e da Europa.
  4. Navios maiores estarão em demanda. Os navios de contêineres deverão somar 98 das encomendas deste ano de todos os tipos de embarcação e 120 no ano que vem. No geral, o número de navios encomendados aumentará 54 por cento, para 662 neste ano e 820 em 2019, disse Park Moo-hyun, analista da Hana Financial Investment em Seul.
  5. A maioria são navios petroleiros e de granel seco. Os navios petroleiros e graneleiros representam mais de 60 por cento do total de entregas programadas para este ano e os navios de contêineres respondem por 19 por cento. Park, da Hana Financial, prevê um “aumento constante” da demanda por grandes navios de contêineres capazes de transportar mais de 15.000 cofres de carga.

 

Fonte: Bloomberg News

Compartilhe Isso:

Comentários

comments

Deixe uma resposta

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com