Log-In inicia operação de segundo porta-contêiner

Brasil aumenta poder naval para proteger reservas de petróleo * A Marinha ficou encarregada de desenvolver uma força para proteger as enormes reservas de petróleo do pré-sal, a bacia do Rio Amazonas e seus 7.491 quilômetros de costa
02/12/2011
ANP fecha poço de exploração de petróleo da Chevron
02/12/2011

Log-In inicia operação de segundo porta-contêiner

Além dos cinco porta-contêineres, a empresa construirá dois navios graneleiros dedicados ao transporte de bauxita para a Alunorte. A frota completa dos sete novos navios foi orçada em R$ 1 bilhão. O projeto está no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). E os recursos são financiados pelo Fundo da Marinha Mercante (FMM), tendo o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) como o principal agente financeiro. O BNDES entrará com 90% dos recursos e a Log-In, com o restante.

O Jatobá foi construído no estaleiro Eisa (RJ), no que constituiu um dos marcos da retomada da indústria naval brasileira após quase 15 anos de inércia. O diretor presidente da Log-In, Vital Jorge Lopes, afirma que o valor dos projetos sofreu pequenos ajustes, mas menores do que se fosse aplicado o índice de inflação no período. Quando concebido, cada porta-contêiner custaria R$ 142 milhões. O valor atual é de R$ 157 milhões por unidade. “Isso é um alto grau de assertividade”, afirma o executivo. Ele também destaca o prazo de entrega, que excedeu em menos de 85 dias o originalmente previsto. Os estaleiros estão abarrotados de encomendas, especialmente de embarcações para apoio offshore para atender as operações do pré-sal.

Hoje, a Log-In tem 25% do mercado de transporte marítimo doméstico (cabotagem). O crescimento na movimentação de cargas no últimos quatro anos foi de 27% ao ano. “A meta é manter em dois dígitos pelos próximos cinco anos.” Lopes afirma que o foco da empresa é cabotagem e que o serviço feeder (carga de importação ou exportação que segue para outro porto nacional) é realizado apenas quando há ociosidade.

Conforme estudo encomendado pela Log-In, para cada contêiner que está na cabotagem, existem outro três com potencial de serem transportados por navio.

O Jatobá atracou vazio em Santos, onde embarcou 400 contêineres. Ele integrará o serviço Amazonas, cuja rotação liga o Sul ao Norte.

Fonte: Valor Econômico/Por Fernanda Pires | Para o Valor, de Santos

Compartilhe Isso:

Comentários

comments

Deixe uma resposta

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com