Estaleiro Rio Grande ganha sobrevida com a possibilidade de passar a fazer movimentação portuária

Ibovespa supera 93 mil pontos pela 1ª vez com negociação EUA-China e reforma da Previdência em foco
09/01/2019
Barril de Brent sobe a 60 dólares, impulsionado pelos esforços da OPEP
09/01/2019

FONTE PETRONOTÍCIAS – Matéria publicada em 09 de janeiro de 2019

Uma vitória para a Ecovix, dona do Estaleiro Rio Grande, que mesmo em recuperação judicial, com mais de R$ 8 bilhões em dívidas listadas, obteve a autorização para diversificar a atividade e tentar fazer  o negócio sobreviver, depois de um verdadeiro inferno astral nesses últimos anos, desde  a deflagração da Operação Lava Jato, em 2014.

Com a crise da indústria naval, o estaleiro está sem encomendas e inoperante. Na primeira sessão legislativa do ano, dia 2, a assembleia gaúcha aprovou projeto que autoriza a movimentação portuária de cargas no Polo Naval de Rio Grande. Com isso, a Ecovix se prepara para usar a infraestrutura do estaleiro para exportar granéis sólidos de origem vegetal, notadamente cavaco de madeira. Carga que hoje o porto do Rio Grande deixa de aproveitar em toda sua potencialidade porque a infraestrutura está voltada ao escoamento de outras cadeias.

O estaleiro está dentro do porto, mas em área não operacional cedida pelo Estado do Rio Grande do Sul. Por isso, a Ecovix finaliza proposta de utilização da área para embarque e desembarque de carga a ser submetida à agência reguladora federal de portos (Antaq). A Agência vai definir qual será o modelo de exploração. Pode ser um arrendamento de área pública ou um terminal de uso privado. O segundo passo é a busca por parceiros dispostos a investir para transformar parte do empreendimento em terminal de carga. A operação demandará equipamento para carregamento de navios e esteiras transportadoras para granel sólido, um investimento de quase RS$ 40 milhões, podendo funcionar ainda este ano, movimentando um milhão de toneladas de cargas

Comentários

comments

Os comentários estão encerrados.