Empresas aguardam maior oferta de gás para poder se expandir em SC

Dilma diz que educação terá R$ 112 bilhões dos royalties do petróleo em dez anos
20/08/2013
Empresa americana deve fazer ofertas por ativos do grupo de Eike
20/08/2013

Empresas aguardam maior oferta de gás para poder se expandir em SC

FONTE: FOLHA DE SÃO PAULO

Sessenta companhias que atuam em Santa Catarina, entre elas Alcoa, Bunge e GM, estão na fila do gás natural.

Elas pediram à SCGás (empresa de distribuição de gás canalizado no Estado) uma maior oferta do produto. A expansão de algumas dessas companhias depende disso.

A SCGás, porém, não pode oferecer o produto por seu contrato com a Petrobras prever apenas 2 milhões de metros cúbicos do combustível por dia. Em julho, a média de venda diária da empresa do Estado ficou em 1,9 milhão.

“Fizemos um pedido de aumento do volume de gás [à petroleira], mas foi negado”, diz o presidente da SCGás, Cósme Polêse.

A escassez do combustível foi um dos motivos que levou a Oxford Porcelanas a estudar a construção de uma fábrica no Nordeste, segundo o diretor-superintendente da empresa, Irineu Weihermann.

“Em Santa Catarina, temos uma oferta de gás muito restrita. Por isso, crescer no Estado é arriscado”, diz.

A BMW, que irá instalar uma planta em Araquari (a 170 km de Florianópolis), só receberá 80 mil m3 diariamente porque, quando realizou o pedido, uma companhia de porcelana havia trocado o gás pelo carvão.

Se a montadora fizesse a demanda agora, não haveria oferta para atendê-la.

Os outros Estados da região Sul preveem enfrentar situação semelhante no futuro próximo. “O descasamento entre oferta e demanda está perto de ocorrer”, afirma Roberto Tejadas, presidente da SulGás (distribuidora do Rio Grande do Sul).

Outro problema da região é que o gasoduto que abastece os Estados tem capacidade para 12 milhões de metros cúbicos. A demanda deve chegar a 30 milhões em 2019.

“Se não tivermos capacidade para esse volume, o Paraná perderá milhares de empregos”, diz Luciano Pizzatto, presidente da Compagas (distribuidora do Paraná).

Representantes dos três Estados e de Mato Grosso do Sul se reuniram ontem e elaboraram um documento que será enviado à Petrobrás e ao Ministério de Minas e Energia pedindo soluções.

Eles apontam um novo tramo para o gasoduto ou um terminal portuário pare receber gás importado como possíveis saídas.

*

Agricultura familiar terá R$ 162 mi para projetos no CE

O governo do Ceará planeja investir R$ 162,2 milhões no desenvolvimento de projetos de capacitação e produção agrícola nos 31 municípios com os menores IDHs (Índice de Desenvolvimento Humano) do Estado.

Metade da verba será financiada junto ao Fida (Fundo Internacional do Desenvolvimento Agrícola). O Tesouro estadual bancará o restante do investimento.

O recurso será aplicado entre 2013 e 2019 em ações para reduzir a pobreza rural no semiárido cearense.

“Vamos formar comitês regionais em cada cidade. Eles vão estudar a região e propor programas para capacitar as famílias de acordo com suas atividades”, afirma o secretário de Desenvolvimento Agrário, Nelson Martins.

“Queremos que pelo menos 30 mil famílias tenham acesso a projetos de produção agrícola.”

Os agricultores devem ter declaração do Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar) para ter acesso aos projetos cearenses.

“Além de capacitar, também está entre nossos objetivo auxiliar as pessoas a conseguir linhas de crédito em instituições financeiras, como o Banco do Nordeste.”

O edital para a contratação da equipe que vai administrar o programa será lançado em outubro, diz o secretário.

*

Negócio feminino

O incentivo à contratação de mulheres ganhou mais destaque nas agendas empresariais da América Latina nos últimos anos, segundo pesquisa da consultoria McKinsey&Company.

Em 2010, 21% dos consultados na região responderam que a diversidade de gênero era prioridade em suas companhias. Na pesquisa de 2013, o índice subiu para 37%.

“O mercado está mais aquecido, e a competição acirrada faz com que as empresas contratem mais mulheres”, diz Manuela Artigas, sócia da consultoria.

Entre as principais barreiras para atrair funcionárias para as corporações, está a dificuldade de conciliar trabalho e responsabilidades domésticas, apontada por 44% dos 547 executivos entrevistados neste ano.

“A mulher gasta em tarefas domiciliares o dobro de tempo gasto pelo homem nas mesmas atividades”, afirma Artigas.

A falta de políticas públicas pró-família e serviços de suporte, como escolas integrais e período estendido de licença-maternidade, ficou com índice de 24%.

*

Reciclagem… O Sindinesfa (sindicato do comércio de sucata) enviou à Cetesb, agência ambiental paulista, documento pedindo participação no programa de renovação da frota de caminhões. O setor quer atuar como reciclador.

…sobre rodas A Desenvolve SP, agência de fomento do governo estadual, diz que o programa de substituição de veículos antigos entregou 25 caminhões e que há outros 16 em fase de liberação, em um total de R$ 9 milhões.

Sociedade O TozziniFreire tem um novo sócio. Vinicius Jucá, especialista em impostos de valor agregado, atuará no contencioso tributário.

Teclado… O Univadis, portal na internet com informações sobre educação médica desenvolvido pela farmacêutica MSD, chega ao Brasil.

…e bisturi A plataforma está disponível em 40 países, em 17 idiomas diferentes, com 1,8 milhão de profissionais de saúde registrados.

Conversa internacional Agustin Flah, do departamento jurídico do Banco Mundial, faz palestra sobre corrupção e lavagem de dinheiro na FGV.

com LUCIANA DYNIEWICZ, LEANDRO MARTINS e CLARA VELASCO

Compartilhe Isso:

Comentários

comments

Os comentários estão encerrados.

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com