Empresa americana deve fazer ofertas por ativos do grupo de Eike

Empresas aguardam maior oferta de gás para poder se expandir em SC
20/08/2013
Hidrovias são melhor alternativa de logística para distância mais longa
21/08/2013

Empresa americana deve fazer ofertas por ativos do grupo de Eike

FONTE: O DOCUMENTO

A EIG Global Energy Partners LLC está interessada em comprar mais ativos do empresário Eike Batista, disse uma pessoa familiarizada com os planos da empresa de investimentos dos Estados Unidos, dias após a EIG ter fechado um negócio que deu a ela o controle de um grande porto. A EIG, porém, não está negociando ativamente com o grupo EBX do empresário, disse a fonte, que não quis especificar quais ativos que a empresa de gestão de investimento de US$ 12,8 bilhões (R$ 30,59 bilhões) está de olho.

Forçado a desmantelar, por problemas de dívida, um império de energia, porto e mineração que valia cerca de R$ 83,6 bilhões no ano passado, Eike Batista busca parceiros ou compradores para a empresa de petróleo OGX Petróleo e Gás Participações, para a mineradora MMX, para a empresa de construção naval OSX Brasil e para a companhia de carvão CCX.

A EIG não quis comentar. Executivos da EBX não estavam imediatamente disponíveis para comentar. Buscando lucrar com a corrida pelo petróleo brasileiro, a EIG anunciou na semana passada que vai comprar novas ações da empresa logística LLX no montante de R$ 1,3 bilhão para ajudar a completar o Porto do Açu, um complexo gigante no Estado do Rio de Janeiro. A EIG procurou Eike para um possível acordo sobre o porto há cerca de seis semanas, disse a fonte.

No ano passado, a EIG também concordou em investir R$ 500 milhões na Sete Brasil, que constrói 28 sondas de perfuração em águas profundas para a estatal Petrobras. A EIG obteve os ativos da LLX por uma fração do que podem valer se o Porto do Açu atingir seu potencial. Empresas como a General Electric e a francesa Technip já fizeram acordos para comprar áreas no porto.

A EIG espera que o porto seja usado para servir a Petrobras e parceiros como a britânica BG Group e a espanhola Repsol, em meio a exploração das reservas de petróleo do pré-sal ao longo da costa do Brasil. “O ponto de desembarque para todo esse petróleo é o porto do Açu”, disse a fonte. “É uma jóia da coroa”.

Compartilhe Isso:

Comentários

comments

Os comentários estão encerrados.

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com