Edital do pré-sal atrasa e não vai incluir pedido da indústria

Ártico acelera transporte marítimo da Ásia à Europa
24/08/2013
ANP limita participação da Petrobras em novos gasodutos
24/08/2013

Edital do pré-sal atrasa e não vai incluir pedido da indústria

FONTE: TN ONLINE

Por Denise Luna
RIO DE JANEIRO, RJ, 22 de agosto (Folhapress) – O edital do primeiro leilão do pré-sal, que teria que ser publicado hoje, de acordo com o cronograma do leilão, atrasou por conta da análise do TCU (Tribunal de Contas da União), informou uma fonte próxima ao assunto.
A ANP (Agência Nacional do Petróleo) aprovou no último dia 21 as minutas do edital e do contrato de partilha de produção do primeiro leilão do pré-sal, com poucas alterações, que foram enviados para o Ministério de Minas e Energia, responsável pela aprovação final do texto. Paralelamente, o TCU tem que aprovar o texto, como faz em todos os leilões da agência.
O leilão vai oferecer a área do campo de Libra, na bacia de Santos, onde pode existir entre 8 e 12 bilhões de barris de petróleo em reservas recuperáveis. Libra foi a maior descoberta de petróleo já feita no país.
Com o atraso, a agência teve que adiar do dia 28 de agosto para 10 de setembro os seminários técnico-ambiental e jurídico-fiscal do leilão, evento que antecede a oferta. A data do leilão, 21 de outubro, não será alterada, segundo a ANP.
O edital e os contratos passaram por consulta e audiência públicas, e, segundo a diretora geral da ANP, Magda Chambriard, não terão muitas alterações em relação ao texto original, o que foi confirmado hoje pela fonte.
Durante a consulta pública, as principais sugestões eram para que o governo aplicasse correção monetária nos investimentos que servirão de base para o cálculo do lucro-óleo (parcela da produção que será entregue ao governo como parte do pagamento pela área), e permitisse a prorrogação do prazo de concessão de 35 anos.
Nenhum dos dois pleitos será contemplado.
Alguns investidores também reclamaram do grande poder da PPSA (Pré-sal S.A.) no consórcio que será formado para desenvolver a produção. A empresa será a representante da União no consórcio, ao lado da Petrobras, que terá 30% seja quem seja o vencedor do leilão, e os demais investidores privados.
Um área do Ministério do Planejamento chegou a sugerir, na consulta pública, que a EPE (Empresa de Pesquisa Energética) e não a ANP fosse a substituta da Pré-sal S.A., se esta não estivesse criada até a data do leilão. Apesar de aprovada em 2010, até hoje a PPSA ainda não está completamente formada. Segundo a fonte, esse item também não será alterado.

Compartilhe Isso:

Comentários

comments

Os comentários estão encerrados.

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com