Barra do Furado terá primeiro estaleiro de reparos para manutenção de embarcações de apoio offshore

A devastação da Amazônia é uma indecência comemorada
08/12/2011
Brasileiro é eleito presidente do Conselho Mundial de Petróleo em Doha
08/12/2011

Barra do Furado terá primeiro estaleiro de reparos para manutenção de embarcações de apoio offshore

A BR Offshore anuncia oficialmente a construção do Terminal de Serviços e Logística da Barra do Furado – TSLBF, no Canal das Flechas, Barra do Furado, entre os municípios de Campos Goytacazes e Quissamã, no norte do Estado do Rio de Janeiro. O empreendimento tem investimento estimado de R$ 450 milhões e será construído dentro do Complexo Logístico e Industrial Farol – Barra do Furado, que está sendo constituído pelos dois municípios, com o apoio do Governo do Estado do Rio de Janeiro e do Governo Federal, para a instalação de empresas do setor de Óleo e Gás.

O TSLBF terá um estaleiro de reparos navais direcionado para as embarcações de apoio offshore e uma base de apoio marítimo, com áreas para instalação de empresas do segmento de óleo e gás. As obras do empreendimento, que será o primeiro do Complexo, deverão ser iniciadas em abril de 2012. A previsão é que já esteja operando até o final de 2013.

A companhia também avalia a instalação de investimentos semelhantes em outras localidades do País, voltados à indústria de apoio offshore. “A empresa foi criada com o objetivo de atender a demanda por serviços de logística e infraestrutura, que devem crescer consideravelmente nos próximos anos, com o aumento da exploração de petróleo, em especial nos poços em águas profundas”, comenta Paulo Salles, presidente do Conselho de Administração da BR Offshore.

O crescimento das atividades de perfuração e exploração na Bacia de Campos tem criado gargalos logísticos importantes, com a sobrecarga dos portos hoje utilizados para apoio offshore, gerando custos significativos nas operações de logística para as plataformas.

“O nosso primeiro terminal de serviços, com 950 metros lineares de cais, na Barra do Furado, chega em um momento importante para viabilizar a crescente movimentação de embarcações e equipamentos na Bacia de Campos”, complementa Ricardo Vianna, presidente executivo da BR Offshore.

As obras de dragagem do Canal das Flechas, bem como o aumento dos moles necessários para a proteção da entrada do Canal das Flechas têm o apoio do PAC – Programa de Aceleração do Crescimento do Governo Federal e estão sendo realizadas pelo Consórcio Terra e Mar, formado pelas empresas Odebrecht, Queiroz Galvão e OAS. A previsão é que sejam concluídas ainda em dezembro de 2012.

A operação do Terminal -O Terminal de Serviços e Logística da Barra do Furado terá capacidade de atracação para até 10 embarcações, e contará com moderno sistema de docagem e transbordo, além de um armazém alfandegado, áreas de estocagem de líquidos e granéis, e ainda uma estação de passageiros e um heliporto.

O estaleiro de reparos navais contará com o maior shiplift (elevador de embarcações) no Brasil, com a capacidade de içamento de embarcações com até 6 mil toneladas, e na primeira fase poderá docar simultaneamente, em seco, até 4 navios.

Cuidados com o meio ambiente e impactos socioeconômicos-Para viabilizar a implantação do Complexo Logístico e Industrial Farol – Barra do Furado foram realizados diversos estudos ao longo dos últimos anos, que comprovaram que a instalação de empreendimentos no Canal das Flechas não causará impacto ambiental negativo. As obras preveem, inclusive, a recomposição de uma parte da praia da Boa Vista que vem sofrendo um processo de erosão contínua. O Complexo Industrial irá também revitalizar a atividade pesqueira na região ao assegurar a navegabilidade no Canal das Flechas. Além disso, uma série de melhorias nas estradas de acesso ao Complexo também já começaram a ser realizadas.

O empreendimento BR Offshore deverá gerar cerca de um mil empregos diretos e cerca de 2 mil indiretos. Apenas durante as obras, cerca de 600 pessoas devem ser empregadas. Em todo o Complexo Logístico e Industrial Farol – Barra do Furado deverão ser gerados entre 5 mil e 8 mil empregos.

TSLBF em números: área total de 611 mil m², com 950 metros lineares de cais .| Base de Apoio de 450 mil m² .|Sete berços para atracação para barcos de apoio offshore .| Três dárcenas para embarque e desembarque de cargas, com pontes rolantes .| Área de armazenamento de produtos como combustível, óleo diesel, água potável e água de perfuração, lama, salmoura, glicol, lubrificantes, solventes, metanol, cimento a granel .| Ampla área de retroporto, disponível para fornecedores de equipamentos e serviços da cadeia de óleo e gás .| Terminal alfandegado .| Heliporto .| Estaleiro de reparos navais de 115 mil m² .|Shiplift (sistema de elevação das embarcações), oficinas, área administrativa e capacidade para trabalhar com até quatro embarcações em seco simultaneamente .| Áreas Comuns: 46.000 m² .| Vias de acesso interno e de acesso aos berços .| Área administrativa, refeitórios, vestiários . | Área de proteção ambiental.

A BR Offshore Investimentos e Participações S.A. foi constituída em novembro de 2010 pelos sócios da Aggrego Consultores e da Aspen Offshore como uma holding de investimentos em projetos de logistica e serviços para o segmento de óleo e gás, visando atender às demandas crescentes do setor. A companhia iniciará em 2012 a construção do seu primeiro empreendimento, o Terminal de Serviços e Logística Barra do Furado – TSLBF, na Barra do Furado, em Campos de Goytacazes, Rio de Janeiro.

PORTAL FATOR BRASIL

Compartilhe Isso:

Comentários

comments

Deixe uma resposta

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com