AÇÃO COORDENADA PELAS POLÍCIAS DO RIO E DO ESPÍRITO SANTO DESCOBRE QUADRILHA QUE ROUBAVA DUTOS DA TRANSPETRO

IPCA sobe 0,32%, menor taxa para fevereiro em 18 anos, e reforça apostas de corte nos juros
09/03/2018
Lava Jato cumpre mandados contra Delfim Netto por suspeita de propina em Belo Monte
09/03/2018

AÇÃO COORDENADA PELAS POLÍCIAS DO RIO E DO ESPÍRITO SANTO DESCOBRE QUADRILHA QUE ROUBAVA DUTOS DA TRANSPETRO

FONTE PETRONOTÍCIAS – Matéria publicada em 08 de março de 2018

A Polícia Militar do Espírito Santo e a Polícia Civil do Rio de Janeiro cumpriram cinco mandados de busca e apreensão em endereços suspeitos, onde ocorriam furto de petróleo bruto diretamente dos dutos da Transpetro.

Foram vasculhados outros locais que seriam usados para receptar e comercializar o produto, como refinarias clandestinas e postos de gasolina. Dos cinco endereços, um é em Cariacica, dois em Vila Velha e dois na Serra. A ação faz parte da operação Conexão Clandestina III, do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro. Também foram cumpridos mandados em Guapimirim e Sapucaia, no Estado do Rio de Janeiro; Guaxupé e Arcos, em Minas Gerais; Vera Cruz e Feira de Santana, na Bahia.

De acordo com os procuradores do Rio de Janeiro, as investigações começaram a partir de denúncias da Transpetro que tratam de furto de petróleo nos dutos que passam por dentro de duas fazendas em Guapimirim. A partir de técnicas de investigação e ações de inteligências, com autorização do Juízo da 2ª Vara da Comarca de Guapimirim, caminhões que partiam das fazendas foram monitorados durante certo período. Este controle possibilitou a identificação dos locais onde os veículos faziam paradas com o produto do furto. A partir disso, foram pedidos os mandados de busca e apreensão para a operação.

Segundo as investigações, uma das fazendas já apareceu em outros registros da Transpetro de extração clandestina de petróleo. Também há relatório dando conta que homens armados impediram a entrada da técnica da empresa para fazer manutenção nos dutos. O inquérito aponta que o prejuízo da Transpetro com o produto desviado por esta quadrilha chega a R$ 283 mil, apenas no período monitorado. Além disso, este tipo de crime oferece grave risco para a população do entorno dos locais de extração clandestina e ao meio ambiente. O furto é feito, na maioria das vezes, pela instalação de uma válvula no duto. O processo é chamado de trepanação e pode resultar em vazamento e até explosão do material.

 

Compartilhe Isso:

Comentários

comments

Deixe uma resposta

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com